Terça, 21 de Novembro de 2017

Réplicas em miniaturas

2 MAR 2010Por 05h:50
Ao contrário do que se pensa, o bonsai não é definido como uma árvore pequena. A palavra japonesa significa, na verdade, “árvore em bandeja”. Mas além de estar em um vaso, a planta precisa ser uma réplica da original na natureza, tendo de ser trabalhada artisticamente para obter efeitos como a ação do vento, entre outros. Segundo o floricultor Júlio Sato, de 48 anos, pode-se cultivar qualquer espécie como um bonsai, mas costuma-se dar preferência a plantas com folhas pequenas. O tamanho de um bonsai é configurado pelo espaço que as raízes têm para se desenvolverem. Por esse motivo, muitas vezes, a árvore permanece pequena. “Trabalhamos com restrição do crescimento por meio dos vasos, porém o mais importante é a poda inferior, onde o excesso de raíz é cortado”, explica Júlio. Se não for podada, a planta pode morrer em consequência da falta de nutrientes do solo. Júlio aconselha que a poda seja feita, em média, uma vez ao ano. “Se a pessoa não tiver treinamento e não conhecer bem a planta, deve levar o bonsai a um profissional, pois esta poda precisa ser feita com cuidado”, esclarece. Com preços que variam entre R$ 25 e R$ 3.500, os bonsais não devem ser vistos como objetos de decoração. “Mantê-los dentro de casa, longe do sol e da chuva, pode fazer com que faltem nutrientes necessários para seu crescimento. O correto é deixá-los em locais arejados. Os bonsais são uma forma de vida e devem ser respeitados”, pontua Júlio. Arte Bonsaístas costumam se designar como artistas. Isso porque o cultivo das árvores envolve estilos e manipulações para que as plantas ganhem a forma desejada. Arames, podas, quebras de galhos, tudo é utilizado para tornar a árvore em miniatura algo visualmente agradável. Para Júlio, o bonsai pode ser descrito como a mescla entre “arte, técnica, harmonia e equilíbrio”. Ao se trabalhar certos estilos – confira o boxe ao lado da foto para conhecer os principais –, bonsaístas utilizam principalmente a aramagem e a poda superior, que consistem no corte das folhas para dar o aspecto desejado. Arames são utilizados para fazer com que os galhos adquiram a forma desejada. Paciência O requisito principal para quem gostaria de trabalhar com bonsais é a paciência. Sem ela, é melhor manter-se longe destas réplicas miniaturizadas. Vale notar que se uma pessoa cultiva um bonsai desde a semente, levará no mínimo, um ano para começar a trabalhar na árvore. “Acredito que este seja o motivo pelo qual o bonsai está associado ao idoso, pois é uma arte que necessita de tempo”, explica Júlio, que tem pequenas árvores com mais de 30 anos. Para ele, um bonsai nunca está terminado. “Sempre podemos realizar alterações, podas diferentes e descobrir novas formas para as árvores”, conclui.

Leia Também