Quinta, 23 de Novembro de 2017

"Remoção é ônus, não benesse", alega delegado

1 MAR 2009Por 09h:42
     

Da redação

 

Os delegados federais e os auditores da Receita Federal que receberam altas ajudas de custo consideram que o pagamento apenas tenta minorar a situação a que são submetidos para atender ao interesse público. Rogério Augusto Galloro, por exemplo, lembra que tem esposa e dois filhos e qualquer mudança gera impacto na família, como escola e adaptação.

 

Ele estava preparado para ficar dois anos no Recife, quando o atual diretor da PF, Luiz Fernando Corrêa, assumiu: "Três superintendências estavam vazias e em situação administrativa ruim, precisavam de alguém com energia, com gás para enfrentar o marasmo." Ficou em Goiânia um ano e meio e até construiu uma casa, mas surgiu novo convite, para a Diretoria de Logística. "Para mim foi dificílimo vir de Goiânia para cá. Vim para atender a uma demanda do dr. Luiz Fernando. Foi outro baque para minha família, ela não pode pensar em mudar. O impacto social que tive na minha vida não me permitiria abrir mão desta indenização."

Leia Também