Quinta, 23 de Novembro de 2017

Relatório aponta precariedade na custódia de presos em delegacias

28 JAN 2010Por NADYENKA CASTRO22h:25
Relatório do Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul (Sinpol) aponta que a custódia de presos em delegacias de municípios do interior está em situação precária. Vistorias foram realizadas nas unidades de Miranda, Bodoquena, Aquidauana, Anastácio e Dois Irmãos. A conclusão do sindicato é de que “delegacia não tem estrutura para abrigar presos”, conforme frisou o presidente, Alexandre Barbosa. Para o dirigente, o ideal seria o Governo do Estado fazer convênios com o Ministério da Justiça para construção de cadeias públicas. “Teria estrutura mais adequada, os presos estariam sendo ressocializados, não ficariam ociosos e teriam acompanhamento psicológico e com assistente social”, sugeriu. Segundo ele, delegacias de todos os municípios serão vistoriadas. Até então, a situação mais crítica é em Miranda, seguida por Bodoquena. Em Miranda, cinco celas deveriam abrigar quatro detentos cada uma. No entanto, 35 internos disputam cada centímetro do cubículo. Do total de presos, 25 são homens e 10 são mulheres, que não poderiam estar na mesma delegacia, ainda que em celas diferentes. Para resolver o problema, em novembro do ano passado as mulheres foram transferidas para a cadeia de Bodoquena. No entanto, como não havia no município fornecedor de alimentação ao custo de R$ 8 por dia por pessoa, elas tiveram que retornar ao antigo endereço 12 dias depois. Outro problema apontado pelo Sinpol na custódia de mulheres é que os policiais homens têm que cuidar delas, o que deveria ser feito por pessoas do mesmo sexo. Quanto à estrutura, não há ventilação nas celas, que apresentam danos hidráulicos e elétricos. O muro é baixo e a delegacia fica ao lado de uma pousada. A sala de atendimento ao público não está nos padrões adequados. Conforme o Sinpol, nos últimos três anos houve quatro tentativas de fuga na cadeia. Já a delegacia de Bodoquena é chefiada pelo delegado de Miranda. Os dois municípios são vizinhos. As duas celas da unidade da Polícia Civil, com capacidade para abrigar quatro presos cada, assim como todo o prédio, estão em péssimo estado de conservação, conforme o Sinpol. A delegacia não abriga presos desde 1º de dezembro do ano passado, quando as detentas de Miranda foram levadas de volta. Nas delegacias de Aquidauana, Anastácio e Dois Irmãos, a situação é menos precária. Em Aquidauana, ficam só presos homens. Em Anastácio, só mulheres, mas que são custodiadas por policiais do sexo masculino. E os detentos de Dois Irmãos são levados para o presídio da cidade. A Delegacia Regional de Aquidauana, que apresentou danos na rede elétrica, será reformada em breve. Os sindicalistas não foram autorizados a entrar nas celas da unidade. Vinte presos estão no local. A Diretoria Geral da Polícia Civil informou que os problemas apontados pelo Sinpol são verdadeiros e eram do conhecimento da instituição.

Leia Também