Sexta, 24 de Novembro de 2017

Reino Unido pede desculpas ao Papa

26 ABR 2010Por 22h:13
Londres

O Ministério de Relações Exteriores do Reino Unido divulgou ontem pedido de desculpas ao Papa Bento 16 por um memorando interno no qual funcionários faziam piada sobre a visita do pontífice ao país. No memorando, eles sugeriam que o Papa poderia aproveitar a viagem de quatro dias, prevista para setembro, e lançar uma linha de camisinhas, abrir uma clínica antiaborto ou cantar em dueto com a rainha Elizabeth 2ª.
O documento, que teve trechos publicados pelo “Sunday Telegraph”, também propunha que o Papa poderia abençoar um casamento gay e reconhecer o escândalo de pedofilia na Igreja Católica estabelecendo uma linha telefônica de denúncias para as crianças vítimas dos abusos ou honrar aqueles que denunciaram os abusos.
Funcionários de baixo escalão escreveram o memorando depois de reunião destinada a discutir ideias para a visita do papa ao Reino Unido, a primeira do líder da Igreja Católica desde João Paulo 2º, em 1982. Apesar de algumas sugestões incluírem conselhos ao governo britânico sobre como citar o escândalo de pedofilia, o ministério condenou muitas das propostas como “desrespeitosas”.

Desculpas
O embaixador britânico no Vaticano, Francis Campbell, reuniu-se com funcionários do Papa para entregar o pedido formal de desculpas. Segundo o ministério, um dos indivíduos responsáveis pelo memorando foi transferido de função. “O Ministério de Relações Exteriores lamenta muito esse incidente e está muito arrependido pela ofensa que ele causou”, disse o ministério, em comunicado. “Nós valorizamos muito a relação próxima e produtiva entre o Reino Unido e o Vaticano e esperamos aprofundar essa relação com a visita do Papa Bento 16 ao Reino Unido”.
O documento apresentava ainda lista de pessoas que poderiam ter papel influente durante a visita ou ao comentá-la, como a cantora escocesa Susan Boyle, que seria mais importante do que o arcebispo de Westminster, Vincent Nichols, o chefe da Igreja Católica na Inglaterra e no País de Gales.
Uma nota de acompanhamento reconheceu que muitas das ideias contidas no memorando foram extremas. “Estas não devem ser compartilhadas externamente”, diz a nota.
O porta-voz do Vaticano, reverendo Federico Lombardi, disse que o pedido de desculpas foi recebido através da embaixada da Santa Sé. “Eles forneceram todas as explicações e não há nada a acrescentar”. Durante sua visita à Escócia e à Inglaterra, o Papa Bento 16 deve discursar em Londres, assistir a um culto ecumênico na Abadia de Westminster e realizar uma missa pública no Parque Bellahouston, em Glasgow.

Leia Também