Domingo, 19 de Novembro de 2017

Refém mais antigo das Farc é libertado

30 MAR 2010Por FLORENCIA23h:26
As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) libertaram na tarde de ontem o militar Pablo Emilio Moncayo, mantido por mais de 12 anos em cativeiro, em uma operação que contou com o apoio de helicópteros e militares brasileiros.

O militar colombiano, que tinha sido capturado por guerrilheiros em 21 de dezembro de 1997, aos 18 anos de idade, foi entregue à senadora colombiana Piedad Córdoba e a integrantes do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, que mediaram as negociações entre os rebeldes e o governo.
Após três horas de atraso em função do clima ruim, um helicóptero militar brasileiro com símbolos da Cruz Vermelha partiu pela manhã para um lugar secreto na Amazônia colombiana onde a guerrilha realizaria a entrega.

A operação de ontem acontece dois dias depois da libertação do soldado Josué Daniel Calvo, solto pela guerrilha no domingo, em local não identificado na zona rural do departamento de Meta, território colombiano, e entregue a delegados da Cruz Vermelha, em operação que também contou com helicóptero brasileiro.

O refém mais antigo de uma guerrilha em decadência Moncayo é o sequestrado que por mais tempo esteve em poder das Farc. Ele ganhou notoriedade também depois que seu pai, Gustavo, inciou uma série de caminhadas pelo país, sempre carregando correntes, para sensibilizar a sociedade para a questão da guerrilha.
Segundo a guerrilha, Moncayo será o último refém que as Farc libertam por decisão unilateral, e os cerca de 20 reféns restantes só serão soltos mediante uma troca humanitária.

A guerrilha
Para analistas, as Farc enfrentam um momento de debilidade. A mais antiga guerrilha americana, fundada em 1964 por camponeses de inspiração comunista, já registrou em suas filas mais de 17 mil rebeldes, que controlavam boa parte do território colombiano. Hoje são cerca de 9 mil membros, escondidos nas montanhas e florestas densas.

A guerrilha perdeu poder durante o governo de Uribe, que, com apoio dos Estados Unidos, prometeu esmagar as forças ilegais. Um dos maiores sucessos de Uribe contra as Farc foi o resgate da franco-colombiana Ingrid Betancourt, libertada em 2008 durante uma operação polêmica na qual militares colombianos utilizaram indevidamente o emblema da Cruz Vermelha.

Nos últimos anos as Farc também perderam importantes lideranças. O lendário fundador Manuel Marulanda morreu em 2008, vítima de ataque cardíaco, segundo os guerrilheiros. O número dois do grupo, Raúl Reyes, foi morto no mesmo ano, em uma ofensiva colombiana não autorizada em território equatoriano. O atual comandante é Alfonso Cano, que é visto mais como um líder político do que como um estrategista militar.

Leia Também