Quinta, 23 de Novembro de 2017

Reajuste beneficia 70 mil aposentados do Estado

17 JUN 2010Por 06h:30
Carlos Henrique Braga

Mais de 70 mil aposentados de Mato Grosso do Sul serão beneficiados com reajuste de 7,72% concedido pelo governo federal, segundo o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Estado. Eles representam os 30% dos 240 mil beneficiários que recebem mais de um salário mínimo (R$ 510).
O presidente da Associação dos Aposentados de MS, Waldir de Miranda Osório, alerta para a confusão que fez aumentar  a procura pelo sindicato: “O aumento será de 1,58 ponto percentual, para complementar o reajuste de 6,14% que já foi dado desde janeiro”.

O ministro de Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, disse ontem que os benefícios pagos em julho virão com aumento; já a diferença do reajuste entre janeiro e junho, o retroativo, será paga na folha de  agosto. O aumento representa gasto adicional de R$ 1,6 bilhão para os cofres do governo federal. Mesmo assim, o presidente Lula consentiu, na última terça-feira, com o acréscimo autorizado por senadores e deputados no início do ano.
“Não é grande dinheiro, mas é um bom dinheirinho, e está acima da inflação”, afirma Waldir, que reconhece intenções políticas na medida: “foi uma ‘bala’ na candidatura da menina (Dilma Rousseff, do PT) e o aposentado vai votar na candidata do Lula”.

O presidente da associção também acredita ter havido pressão dos bancos na decisão do presidente. “Os bancos pressionaram para o aumento, porque poderão emprestrar mais para aposentados, que já têm problemas com crédito consignado”, opina Waldir.

Com a renda mais alta, mesmo com a pequena diferença, os aposentados poderão aumentar o poder de compra e seu peso, já grande, no comércio local. Em abril, de acordo com dados da Previdência Social, foram pagos R$ 2,2 milhões para beneficiários que recebem acima de um salário mínimo em Mato Grosso do Sul. Naquele mês, apenas uma pessoa sacou mais de dez salários mínimos. 

Leia Também