Domingo, 19 de Novembro de 2017

Quem será a bola da vez?

17 MAI 2010Por 21h:41

OSCAR ROCHA

 

Os números e o assédio da mídia confirmam: três artistas de Mato Grosso do Sul tornaram-se celebridades nacionais nos últimos meses. A dupla João Bosco & Vinícius emplacou a música "Chora e me liga" – que está entre as mais tocadas de 2009 – e promete mais sucesso com o novo DVD; Maria Cecília & Rodolfo estabeleceu a base de atuação em São Paulo e os dois são figuras fáceis em programas de televisão em rede nacional. No caso de Luan Santana, o sucesso é maior ainda. Em pleno reinado do CD pirata, atingiu 150 mil cópias vendidas, entre CD e DVD do lançamento mais recente, sem contar a agenda lotada de shows e a aparição frequente em programas de grande audiência. Virou ídolo nacional.

Agora, a pergunta que aparece é a seguinte: outros nomes locais podem ter trajetória semelhante? "Mato Grosso do Sul, sem dúvida nenhuma, transformou-se num grande cenário da música sertaneja. Se no passado Goiás era o local onde apareceram grandes nomes, atualmente Mato Grosso do Sul cumpre muito bem essa função", analisa Daniel Rigon, coordenador de shows da gravadora Som Livre, responsável pelos lançamentos dos DVDs e CDs de Maria Cecília & Rodolfo e Luan Santana. "Estamos de olho no aparecimento de novos talentos que, acreditamos, a região possa oferecer".

Daniel explica que sucessos regionais, localizados, podem, em muitos casos, ser ampliados. "Buscamos prestar atenção em sucessos regionais com musculatura, que tenham repercussão consolidada nos locais onde surgiram. Assistimos a shows de novos talentos e procuramos estar a par do que está acontecendo. No caso de Mato Grosso do Sul, nossa atenção é constante", afirma Daniel.

Para Eduardo Maluf, empresário da dupla Maria Cecília & Rodolfo, o momento é realmente favorável para que novos talentos locais tenham repercussão nacional. "Acredito muito nisso", apontou. "Esse destaque da música local começou há algum tempo, com o Grupo Tradição, e somente foi crescendo. Maria Cecília e Rodolfo souberam aproveitar esse momento".

Eduardo enfatiza que o trabalho das duplas e grupos precisa ser constante e planejado para aproveitar o momento. "O que tenho notado, em muitas situações, é que o artista sul-mato-grossense não acredita que possa ter o reconhecimento nacional, assim como aconteceu com esses nomes que estão sendo consagrados nacionalmente".

O empresário destaca que o profissionalismo é muito importante em qualquer etapa da carreira. No caso da dupla que empresaria, conta que, para atingir novo patamar profissional, precisou centralizar as ações em São Paulo. "É uma nova etapa e que precisou desse direcionamento".

Leia Também