Sexta, 24 de Novembro de 2017

Queda nas cotações diminui pelo 2º ano valor da safra de MS

15 SET 2010Por 13h:52

Carlos Henrique Braga
e Edivaldo Bitencourt

As expectativas do Valor Bruto da Produção (VBP) para as seis principais lavouras indicam redução pelo segundo ano consecutivo em Mato Grosso do Sul em decorrência da queda nos preços. O valor estimado é de R$ 3,9 bilhões neste ano, diminuição de 5,54% em relação a 2009, quando a produção de grãos no Estado somou R$ 4,1 bilhões. Em relação a 2008, quando o valor foi recorde de R$ 5,4 bilhões, a queda acumulada é de 26,9%, segundo a pesquisa da Assessoria de Gestão Estratégica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, feito com base no levantamento feito pelo IBGE e Conab.
O valor da produção de soja sul-mato-grossense teve oscilação negativa de 9,2% nos últimos 12 meses, de R$ 3,2 bilhões para R$ 2,9 bilhões. Apesar do aumento de 27% na safra do produto, que atingiu 5,3 milhões de toneladas neste ano, a desvalorização de 16,7% no preço da saca reduziu os ganhos do produtor, de R$ 46,50 para R$ 38,70, conforme a Granos Corretora.
A grande oferta interna derrubou preços, na avaliação do presidente da Associação de Produtores de Soja (Aprosoja/MS), Almir Dalpasquale. Ele acredita que os valores permaneçam estáveis porque o mercado dá sinais de que o estoque está chegando ao fim. “O preço está bem acima do que estava na colheita e não deve cair porque a indústria está atrás do grão”, avalia. Para furgir do pagamento de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), os compradores dão preferência à soja do Estado. A comercialização da oleaginosa está perto de 90%.
Já o milho acumula aumento de 38,1% no valor bruto, de R$ 623,1 milhões para R$ 860,6 milhões. Apesar de o produto estar 15,1% mais barato, de R$ 16,50 para R$ 14 a saca de 60 quilos, houve crescimento de 85,7% na colheita, chegando a 3,3 milhões de toneladas.

Nacional
Já no Brasil, o BVP das 20 principais lavouras indicam ligeira tendência de alta de 0,18% neste ano, chegando a R$ 163,8 bilhões, segundo o Ministério da Agricultura. Oito apresentam valores de produção maiores do que no ano passado: banana (6,12%), batata inglesa (24,75%), cacau (2,66%), café (22,73%), cana-de-açúcar (10,76%), cebola (124,22%), mamona (6,99%) e trigo (8,84%).
A soma das quedas registradas pelo arroz, feijão, laranja e soja resultou na perda de R$ 6 bilhões, tendo 2009 como base comparativa.

Leia Também