Quinta, 23 de Novembro de 2017

Quadrilha fazia furtos de caixas eletrônicos

4 AGO 2010Por 08h:35
MICHELLE ROSSI

Uma quadrilha acusada de furtar caixas eletrônicos em bancos de Mato Grosso do Sul, e provavelmente em outros estados, foi presa na segunda-feira, na casa de Cleilson Zangirolami, 32 anos, no Bairro Pacaembu, em Campo Grande – este acusado do furto contra o Banco do Brasil, em Jaraguari, há cerca de um mês. Ele é indicado pela polícia também como responsável em dar suporte logístico à quadrilha.
Em sua casa também foram presos: Elias Alves dos Santos, 43, que disse morar em São José dos Pinhais (PR); Anderson de Freitas, 25, e Dorvalino Simão da Silva, 31 – ambos de Joinville (SC). Contra eles pesa a acusação de tentativa de furto na Agência do Sicredi em Nova Alvorada do Sul, crime esse ocorrido no último sábado.
O delegado que investiga as ações da quadrilha, Rodrigo Yassaka, do Grupo Armado de Repressão a Roubos, Assaltos e Sequestros (Garras), disse ontem que ainda há pessoas envolvidas com o grupo que estão foragidas e a quadrilha pode estar ligada à prática de outros furtos a caixas eletrônicos de Campo Grande e no interior.
“Ainda não podemos afirmar se eles têm ligação com os furtos nas agências do Banco do Brasil da Zahran ou das Moreninhas. Estamos investigando, olhando imagens de circuito de câmeras dos bancos”, destacou.

Apreensões
Com a quadrilha, foram apreendidos 2 pares de luvas, 3 celulares, chaves, ferramentas e até uma peruca, usada para evitar que fossem reconhecidos. Também utilizavam um veículo Polo, placas HFE-8543, que pertencia aos ladrões de fora. Não havia dinheiro na casa, e, segundo os criminosos, o motivo seria a recente tentativa frustrada de furto.   
Todos têm antecedentes criminais, desde furto, formação de quadrilha, tráfico de drogas até latrocínio, este na ficha policial de Dorvalino, envolvido em roubo a bancos desde a década de 1990.
Segundo o delegado, o bando teria começado a furtar e arrombar caixas eletrônicos por ser mais simples, já que não precisam entrar em confronto armado e a pena também é menor.
De acordo com as informações da polícia, eles serão indiciados por furto e formação de quadrilha. A pena de furto vai de 1 a 4 anos e de roubo, 4 a 10 anos. As investigações estão sendo concluídas e os autos serão encaminhados ao Poder Judiciário.

Leia Também