Segunda, 20 de Novembro de 2017

PTB quer Odilon na disputa pelo governo

6 MAR 2010Por 03h:50
O PTB está de olho no juiz federal Odilon de Oliveira para concorrer ao Governo do Estado. Ontem, o presidente regional do partido, Ivan Louzada, reafirmou a disposição de a legenda abrir as portas para o magistrado disputar qualquer cargo majoritário nas eleições de outubro. Não é só o PTB que está assediando o juiz. O PSDB também admitiu a possibilidade de abrir caminho para o magistrado entrar na batalha pela sucessão estadual como candidato. A opção de Odilon pelo PSDB, segundo Louzada, aproximaria ainda mais o PTB dos tucanos. A preferência, no entanto, é pela entrada do juiz nas fileiras petebistas. “Falei com o doutor Odilon hoje (ontem) e reforcei o convite para ele concorrer a qualquer cargo pelo PTB. Destaquei a nossa independência política e a disposição para lançá-lo ao Governo do Estado, ao Senado ou a deputado, enfim, o que ele quiser”, disse Louzada. Esta foi a segunda vez que o partido convidou Odilon para ingressar ao PTB e disputar as eleições do dia 3 de outubro. Em setembro do ano passado, Louzada foi ao encontro do magistrado, juntamente com o presidente nacional da sigla, Roberto Jefferson, para discutir a sua participação no processo eleitoral. Além do PTB, o PSDB está articulando com o juiz federal para concorrer ao Governo do Estado ou ao Senado. Isso, apenas na eventualidade de o governador André Puccinelli (PMDB) apoiar a ministra Dilma Rousseff (PT) na sucessão presidencial. “A nossa prioridade é manter a aliança com o PMDB”, ressaltou o presidente regional do partido, deputado Reinaldo Azambuja. No início da semana, o tucano conversou com Odilon e destacou a possibilidade de ele concorrer ao governo ou a vaga de senador pelo partido. Hoje ou amanhã, está prevista nova rodada de negociações. Para Louzada, a hipótese de o magistrado ingressar ao PSDB é vista com bons olhos. “Com certeza, isso nos aproxima ainda mais dos tucanos”, afirmou. Hoje, a prioridade do PTB é lançar candidato próprio ao Governo do Estado. “A segunda opção é apoiar o PSDB, reproduzindo, assim, a aliança nacional”, revelou Louzada.

Leia Também