Sexta, 24 de Novembro de 2017

PT quer Nelsinho à frente da campanha regional de Dilma

28 JAN 2010Por LIDIANE KOBER22h:29
O PT quer o prefeito Nelsinho Trad (PMDB) encabeçando a campanha da ministra Dilma Rousseff (PT) no Centro-Oeste. O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, cotado para assumir a coordenação política da campanha da petista, deverá convidar Nelsinho para ficar à frente do comitê suprapartidário de apoio a Dilma, na batalha pela sucessão presidencial. A informação é do deputado federal Vander Loubet (PT) que, na manhã de ontem, conversou com Dilma e Padilha, em Brasília, durante gravação de vídeo em comemoração dos 30 anos do PT. Segundo o parlamentar, o plano do partido é montar em todas as regiões do País equipes de coordenação. Uma delas será formada por prefeitos. “O Padilha quer ver o Nelsinho e o prefeito de Goiânia (Iris Rezende) no comando do comitê dos prefeitos do Centro- Oeste”, revelou Vander. “Até março, o ministro deverá oficializar o convite a Nelsinho”, completou. O papel do prefeito de Campo Grande seria articular o apoio de outros prefeitos do PMDB a Dilma. Outra esperança dos petistas gira na possibilidade de Nelsinho convencer as lideranças do partido a montar um segundo palanque à ministra no Estado. Porém, o governador André Puccinelli (PMDB) já deixou claro que, se o exgovernador José Orcírio dos Santos (PT) entrar na batalha pela sucessão estadual, não ficará do lado de Dilma. Mas, para os petistas sulmato- grossenses, a pressão de Puccinelli para o PT retirar a candidatura ao Governo a cada dia surte menos efeito em Brasília. “Ainda mais agora que a principal liderança de Campo Grande (Nelsinho Trad) anunciou apoio a Dilma”, comemorou Vander. “Quanto mais forte for o palanque que vamos montar à ministra, menor será a chance de o Planalto atender à pressão do André”, acrescentou. Ciente da importância da parceria com Nelsinho, o deputado mostrou ontem a Dilma cópia de reportagem do Correio do Estado, que confirma o apoio do prefeito à ministra. Conforme Vander, a petista destacou a “lealdade” e “reciprocidade” de Nelsinho e qualificou a atitude dele como “elegante” e “coerente”. O prefeito decidiu ficar do lado do PT na disputa pela sucessão presidencial levando em conta os investimentos do Governo federal em Campo Grande. No entanto, não deixará de se empenhar para garantir a reeleição de Puccinelli, que sinaliza com apoio à candidatura do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), a presidente da República. “O Nelsinho está agindo com coerência porque seguirá a direção nacional do PMDB que, hoje, está fechada com a Dilma”, comentou Vander. Apoio indireto Para o petista, mesmo apoiando Puccinelli, Nelsinho poderá ajudar, de forma indireta, na campanha de José Orcírio na batalha pela sucessão estadual. “Quanto mais forte estiver a Dilma no Estado, mais consolidada se tornará a candidatura do Zeca (José Orcírio)”, opinou Vander.

Leia Também