Sexta, 17 de Novembro de 2017

Arco de alianças

PT fecha com 7 siglas e conta com dissidentes

1 JUL 2010Por 07h:08
De última hora, o PT conseguiu ontem arregimentar o apoio do PSDC, fechou o arco de alianças com a presença de oito partidos e adiou para hoje o anúncio do primeiro-suplente do senador Delcídio do Amaral. Os petistas ainda contam com a ajuda de dissidentes do PTB, PR, PSB e do DEM, conforme informou o candidato à sucessão estadual José Orcírio dos Santos (PT).

Em coletiva à imprensa, ele também revelou suas prioridades de governo, criticou a atual gestão do PMDB e informou que pretende gastar em torno de R$ 10 milhões na campanha eleitoral, ou seja, um terço do que estimou o governador André Puccinelli (PMDB).

Além do PT, apoiam o projeto de Orcírio o PDT, PV, PP, PCdoB, PSL, PRP e o PSDC. Os partidos vão se dividir em três chapas em busca de vagas na Assembleia Legislativa e em um chapão para deputado federal. Só para deputado estadual, a coligação apresentará 127 candidatos.

Caso eleito, Orcírio prometeu “fazer a Mato Grosso do Sul o mesmo que o presidente Lula fez ao País”. “Assim que assumir, vou acabar com a bitributação à pequenas e microempresas, repensar os programas sociais e investir em infraestrutura”, assegurou. “Sem contar que será o fim do autoritarismo, da arrogância e o restabelecimento da paz e da humildade no Estado”, completou.

O candidato petista ainda cogitou reivindicar a “força nacional” para combater eventual abuso de poder na campanha, caso a Justiça Eleitoral não o faça.

Suplente
Ontem à noite, Delcídio se dedicou a encontrar um parceiro de chapa. Sem sucesso, adiou para hoje o anúncio do seu primeiro-suplente. Em coletiva à imprensa, ele adiantou que o escolhido será de um importante colégio eleitoral. (LK)

Leia Também