Sábado, 18 de Novembro de 2017

SEGURANÇA

Proteja o acesso dos seus filhos nas férias

30 JUN 2010Por 21h:13
É fato que, quando as crianças estão de férias, passam mais tempo na internet. Os pais podem até tentar controlar o período e tempo de uso do PC para prevenir problemas. Mas somente limitar o acesso ao Facebook e YouTube e o resto do mundo on-line é uma estratégia equivocada. A verdade é que estando em um desktop, laptop ou um smartphone, a maioria das crianças — ou pelo menos a maioria dos adolescentes — conseguem ficar on-line sempre que quiserem.
Devido a isso, a F-Secure sugere que os pais expliquem aos seus filhos os riscos do crime virtual e predadores on-line. E para que eles estejam preparados, a empresa reuniu cinco dicas fáceis para manter as crianças seguras até a volta às aulas.

Links perigosos
Os cibercriminosos estão cientes de que milhões de pessoas estão no Facebook para matar o tempo. Este é um dos motivos que explica por que eles estão espalhando golpes com links descritos como “The Sexiest Video EVER” (algo como “O vídeo mais sexy”) ou “You’ll never believe this LOL” (“Você nunca irá acreditar nisso”). Quando o usuário está entediado e um amigo posta um link como esse, é preciso muita força de vontade para resistir. Repita este mantra: Se algo parece muito bom para ser verdade, não arrisque. Claro que isto não funcionará sempre. Nesse caso, é recomendável usar o Browsing Protection da F-Secure para verificar se o link apresenta riscos.
Atualizações

O usuário que não mantém o seu software de segurança atualizado convida os predadores a entrarem no PC. Atualizações mensais para o Windows, Adobe Reader, iTunes, e outros programas são essenciais para a segurança on-line, mas exigem tempo. Para facilitar o processo de atualizações e garantir que nenhuma brecha será explorada, a dica é executar o Health Check da F-Secure uma vez ao mês.

Proibido instalar
Uma vez que você executou o Health Check, não há a necessidade de seus filhos instalarem qualquer outro software. Diga a eles que isto é trabalho dos pais. Os pais devem verificar a reputação do produto que pretendem instalar e então decidir se vale a pena. Muitos golpes usam a oferta e instalação de programas antivírus falsos para infectar os usuários

O que não compartilhar
A maioria das crianças sabe mais a respeito do Facebook do que os pais gostariam. Elas sabem como adicionar ou apagar aplicativos ou como bloquear determinado usuário. Mas talvez não saibam o que não deve ser compartilhado na internet. Os pais devem orientá-las a nunca publicar informação pessoal — endereço de e-mail, números de telefone, endereço residencial — em qualquer rede social. Também devem evitar postar informação a respeito da sua programação, especialmente durante as férias, ou detalhes sobre quando os seus pais estarão em casa ou não. Os filhos precisam saber que, qualquer conteúdo que postarem em uma rede social deve ser considerado público, como a capa de um jornal.

Diga que está de olho
Os pais precisam saber em quais redes sociais os seus filhos estão. Se tiverem tempo e paciência, é uma boa ideia começar um perfil no site e se tornar amigo dos filhos ou segui-los, no caso do Twitter. É impossível olhar os filhos a cada minuto. Mas se eles estiverem cientes de que os pais estão observando, isto pode ajudá-los a pensar antes de clicar em links ou publicar algo que não deveriam.

Leia Também