Sábado, 18 de Novembro de 2017

Projeto leva música autoral a escolas de Campo Grande

11 AGO 2010Por 07h:15
Propostas musicais autorais começam, a partir de hoje, às 9h, a circular por escolas públicas da Capital. Trata-se do Projeto Nossa Música, patrocinado pelo Fundo  de Investimentos Culturais do Governo do Estado (FIC), que pretende, até outubro, percorrer dez instituições de ensino de várias regiões da cidade – a primeira será a Escola Estadual Riachuelo, localizada no Bairro Cabreúva. “Há uma cena autoral muito forte atualmente em Campo Grande que, muitas vezes, fica restrita a eventos noturnos. A ideia é mostrar nossa música para um público que pode se identificar com ela e divulgá-la”, explica um dos coordenadores do projeto, o músico Bruno Moser, que integra a banda Sarravulho, uma das que integra a caravana que passará pelas escolas. As outras são Toca Trio, Facas Voadoras, Jennifer Magnética, Estilo Quarta-Feira, Dimitri Pellz, Elánio, Zé Geral, Santo de Casa e Trio André, Júnior e Fran.
“Em cada local serão duas atrações diferentes, totalizando 20 shows, cada um de 50 minutos. A primeira apresentação contará com Jennifer Magnética e Estilo Quarta-Feira”, destaca Bruno. A primeira está lançando novo álbum, “O verdadeiro underground”, reafirmando o estilo que formatou desde o primeiro CD, no qual referências diferentes do rock aparecem nas criações. Fazem parte do grupo Jean Stringheta (guitarra/voz), Rodrigo Faleiros (baixo/voz) e Diogo Zarate (bateria).
A segunda que tocará na estreia do projeto é uma das novatas da cena local e aposta numa sonoridade que alia elementos atuais, principalmente das bandas mais comerciais, com arranjos  roqueiros. “Abrimos espaços para solos de guitarra, fato que não acontece com muitas das bandas novas”, explica Elvis Duarte (vocal), que atua ao lado de  Luiz Fernando (guitarra base), Dereck (baixo), Thiago Barroso (bateria) e Otávio (guitarra solo).
Atualmente, a formação prepara o primeiro CD, visando, inclusive, ao mercado fora de Mato Grosso do Sul.
A intenção dos organizadores do projeto é aliar os shows a eventos que a própria escola esteja promovendo. “Dessa forma poderemos reunir mais pessoas que possam curtir. Caso a escola não esteja promovendo nada, pedimos um horário para a direção e fazemos a apresentação”.
Na próxima semana está prevista atuação em uma escola do Conjunto União. (OR)

Leia Também