Quinta, 23 de Novembro de 2017

Projeto de R$ 152 milhões levará energia ao Pantanal

10 MAR 2010Por 10h:20
A energia elétrica chegará às mais distantes e isoladas fazendas do Pantanal, 250 anos depois da ocupação da planície pelo homem e o boi. A Eletrobrás decidiu financiar o Programa Luz para Todos na porção do bioma em Mato Grosso do Sul, compreendendo as sub-regiões do Taquari, Paiaguás, Nhecolândia e Nabileque, grande parte em Corumbá. O senador Delcídio do Amaral (PT/MS) participou de reunião com a Eletrobrás, Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Secretaria Nacional de Energia e Enersul, em Brasília, e o projeto para o Pantanal foi aprovado. O governo federal, no entanto, pretendia incluir a região apenas com o sistema de energia solar, que já atende os ribeirinhos da Amazônia. A resistência do governo de estender a eletrificação rural na planície foi motivada pelo valor altíssimo do projeto, orçado em R$ 152 milhões. Enquanto a média do custo Brasil para instalar energia em um domicílio é de R$ 6,6 mi, no Pantanal será de R$ 92 mil. A Eletrobrás bate o martelo no dia 17, quando anuncia as fontes do financiamento à Aneel. Serão construídas duas subestações – no Buraco da Piranha, a 120 quilômetros de Corumbá, e no Taquari, distante 150 km de Coxim -, para alimentar os linhões com capacidade de 138 KV. Serão implantados 4.768 km de rede de distribuição, atendendo a 1.668 propriedades, entre pequenas, médias e grandes, segundo levantamento feito pela Enersul em 2006. Tarifa mais cara Delcídio do Amaral explicou aos fazendeiros que o governo federal deverá subsidiar parte dos investimentos, o que não acontecendo gerará impacto tarifário de 4,2% na conta da luz. As obras devem começar entre agosto e setembro, com conclusão prevista para dezembro de 2011. Os ribeirinhos distantes da rede vão receber energia solar. “As dificuldades não se restringem em convencer o governo da necessidade de atender o Pantanal com energia convencional”, explicou o senador. “Existem razões de caráter elétrico, além do acesso”, acrescentou. O diretor de operações da Enersul, Edmir José Bosso, participou da reunião e explicou que a rede terá fundação especial para garantir energia sem interrupções. Mudança radical Para o Sindicato Rural de Corumbá o cadastramento das fazendas apresentado pela Enersul está defasado. O número de imóveis a ser beneficiado pelo programa deve chegar a dois mil. Na região do planalto, 29.700 imóveis foram beneficiados pelo Luz para Todos, com investimentos de R$ 247 milhões. Foram implantados 14 mil km de rede de distribuição. “A energia no Pantanal significará uma mudança fantástica, será uma revolução social, ambiental e econômica”, disse Urbano Gomes Pinto de Abreu, descendente de pantaneiros tradicionais e pesquisador da Embrapa Pantanal. Os fazendeiros disseram ao senador que hoje alguns produtores levam gelo às propriedades de avião para conservar as vacinas para o gado.

Leia Também