Sexta, 24 de Novembro de 2017

Projeto Biomas vai buscar sustentabilidade

1 MAR 2010Por 04h:14
Agora, deverá ser real e efetiva a preocupação das lideranças do agronegócio em produzir alimentos de forma a preservar os recursos naturais do Brasil. Foi lançado na quarta- feira passada, em Brasília, o Projeto Biomas. O programa é uma iniciativa da Confederação Nacional da Agricultura – CNA em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O foco principal desse projeto é conseguir que o Brasil mantenha a liderança global na produção agropecuária e, ao mesmo tempo, promova, efetivamente, a preservação do meio ambiente. O Brasil tem sido alvo de críticas de países desenvolvidos, que acusam os produtores rurais brasileiros de produzirem de forma não sustentável, sem se preocupar com a manutenção dos recursos naturais. As acusações são mais em relação ao desmatamento e a contaminação do solo e dos recursos de água por agrotóxicos. Justamente a formação de uma imagem nem sempre correta e justa, motivou a Confederação da Agricultura a promover esse programa que, certamente, conscientizará aqueles produtores que ainda não estão produzindo alimentos utilizando as boas práticas que garantam a sustentabilidade no agonegócio. Com investimento de R$ 20 milhões para aplicação nos próximos nove anos, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) pretendem atingir esse objetivo. O projeto As bases do Projeto Biomas começaram a ser construídas a partir do segundo semestre do ano passado, quando a CNA firmou parceria com o Ministério da Agricultura o que permitiu a execução dos trabalhos em conjunto com a Embrapa. A unidade Embrapa Florestas, de Colombo (PR), liderará as pesquisas. “Precisamos produzir mais alimentos, pois cerca de um bilhão de pessoas passam fome ao redor do mundo, e até mesmo no Brasil. Mas também não podemos abrir mão de nossas florestas, da nossa biodiversidade. O Projeto Biomas vai compatibilizar essas duas vocações do nosso País”, disse Kátia Abreu, presidente da CNA na solenidade de lançamento do programa. Esta primeira fase do projeto tem duração de nove anos, incluindo estudos específicos para os seis biomas brasileiros: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal. O objetivo não é apenas promover a pesquisa, mas construir soluções práticas que permitam ao homem do campo recuperar áreas frágeis das propriedades rurais e, ao mesmo tempo, gerar renda. A sustentabilidade será um requisito fundamental para que o agronegócio brasileiro conquiste novos mercados. É uma exigência do consumidor.

Leia Também