Sexta, 24 de Novembro de 2017

Programa financiou mais de mil moradias no Estado

16 ABR 2010Por 21h:02

VERA HALFEN

 

No primeiro trimestre de 2010, a Caixa Econômica Federal financiou 2.013 imóveis, com investimentos da ordem de R$ 154,24 milhões, em Mato Grosso do Sul. Dentre os 2.013 financiamentos habitacionais, 1.182 são por meio de recursos do programa Minha Casa, Minha Vida, representando 55% do volume do período. Os recursos consolidados nos primeiros três meses deste ano representam crescimento de 135% em relação ao mesmo período do ano passado.

Por enquanto, os financiamentos contemplam os mutuários com renda de três a dez salários mínimos. Embora a demanda do volume de propostas seja grande para os rendimentos de até três salários, o período de aprovação e liberação é maior, porque envolve parcerias entre os governos municipal e do Estado.

De acordo com o gerente regional da Caixa, Márcio Nunes Fonseca, existem 9.288 eventos em análise, em diferentes estágios, desde o recebimento das propostas dos futuros mutuários, trâmite no setor jurídico, até a aprovação do financiamento. O tempo entre a proposta e a liberação do empréstimo, de acordo com o gerente, é de 30 a 45 dias.

A maior quantidade de documentos ligados ao programa está concentrado na menor renda; de até três salários mínimos. São 5.168 unidades que deverão ser aprovadas nos próximos dias. Para essa faixa de renda, os financiamentos são tratados diretamente com a Agência Municipal de Habitação de Campo Grande (Emha), e Agência de Habitação Popular do Estado de MS (Agehab).

Os financiamentos liberados pela Caixa, entre três e seis salários mínimos, somam 3.945 unidades; já a faixa entre seis e dez salários são 175 imóveis financiados. Segundo Márcio Fonseca, com a demanda aquecida em função da política do Governo federal, as construtoras viram um nicho no sentido de ampliar seus negócios. Hoje, a apresentação de projetos a serem financiados pelo programa MCMV trouxe grandes construtoras para esse mercado, com variado número de projetos.

 

País

Em todo o País, foram 133.146 imóveis dentro do programa MCMV, nos primeiros três meses de 2010. No primeiro ano, desde a vigência do programa já são R$ 22,8 bilhões financiados e 408.674 novas moradias. Este resultado representa o maior volume de unidades habitacionais novas financiadas dos últimos vinte anos no período. Em 2009, o programa foi responsável por 45,7% do total de novas unidades habitacionais financiadas por todas as entidades integrantes do Sistema Financeiro de Habitação.

O banco recebeu 813.719 propostas de 2044 construtoras desde o lançamento do programa até a primeira quinzena de abril. Desse número, 480.668 são destinadas às famílias com renda de zero a três salários mínimos, público-alvo do MCMV, representando 120% da meta estipulada. Para essas famílias, 203.997 propostas já foram contratadas. Já para as famílias com renda de três a seis salários mínimos, foram 167.368 contratações de moradias.

O programa, lançado em abril de 2009 pelo governo federal, tem como objetivo implementar o Plano Nacional de Habitação, construir um milhão de moradias, aumentar o acesso das famílias de baixa renda à casa própria e gerar emprego e renda por meio do aumento do investimento na construção civil. No mês passado foi lançado o PAC2, que prevê investimentos para construção de dois milhões de novas moradias.

Leia Também