Segunda, 20 de Novembro de 2017

Professores param amanhã em defesa de piso

15 MAR 2010Por 04h:07
Professores vão suspender as aulas amanhã em algumas escolas estaduais e municipais de Mato Grosso do Sul para reivindicar a implantação do Piso Nacional do Magistério. O movimento também é organizado em outros estados do País. A expectativa, conforme o secretário de finanças da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems), Roberto Magno César, é de que a paralisação atinja 70% dos colégios. A partir das 13h30min, haverá audiência pública na Assembleia Legislativa para discutir o assunto. Nos municípios do interior, também serão promovidos eventos. O número de escolas que suspenderão as aulas por conta do movimento será divulgado ainda hoje. A reivindicação dos professores é que seja cumprida a Lei 11.738, de 2008, que instituiu o piso salarial nacional de R$ 950 (sem contar reajustes) para professores para no máximo 40 horas semanais de trabalho. Durante o encontro, será debatido o valor atual do piso com os aumentos que, para os educadores, está fixado em R$ 1.312 e para o Ministério da Educação em R$ 1.024. Os profissionais também querem pressionar a votação da Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) movida pelo governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, além dos governadores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Ceará contra a lei. Decisão cautelar do Supremo Tribunal Federal (STF) determina que seja feito o pagamento. Na legislação, também há obrigação para pagamento de um terço de hora-atividade para os professores desenvolverem planos de aula, correção de provas e outras tarefas pertinentes à função. Essa determinação aind

Leia Também