Domingo, 19 de Novembro de 2017

Produção de abacaxis agora é orientada

12 JUL 2010Por 21h:06
Cícero Faria, Dourados

As regras para o zoneamento agrícola do abacaxi foram publicadas, no dia seis de julho, no Diário Oficial da União, por meio das Portarias numeros 181 a 190, valendo para Mato Grosso do Sul,  Goiás, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rondônia, Tocantins e Distrito Federal.
O objetivo do estudo é identificar os municípios aptos e os períodos de plantio com menor risco climático para o cultivo do abacaxizeiro. Para isso, foram realizadas análises das variações das temperaturas e dos índices de chuva. O produtor que for financiar a cultura junto ao Banco do Brasil deverá respeitar a  data máxima de plantio.
Em Mato Grosso do Sul o plantio da fruta ainda é pequeno e espalhado, se comparado com as culturas comerciais, como da soja e do milho. Mas em 2008, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE)  levantou o cultivo em mais de 20 municípios com uma área de 378 hectares, com destaque a região de Ivinhema.
O seu cultivo no Estado é feito em assentamentos e por produtores familiares que aproveitam pequenas áreas para uma lavoura de boa rentabilidade. Modernamente, nos plantios tecnificados, o plantio é feito pelo sistema de linhas duplas e na base de 45 a 60 mil plantas por hectare. O melhor período de safra compreende os meses de dezembro a janeiro.

Maior produtor
O municipio de Ivinhema é o maior produtor do Estado com uma área plantada de 114 hectares, de acordo com o IBGE. No vizinho Novo Horizonte do Sul, a fruta ocupou 15 ha na safra de 2008; na região do Vale do Ivinhema foram 141 hectares cultivados.
Em Vicentina, um dos pioneiros no seu cultivo no MS, foram oito hectares; em Itaporã, seis ha; e em Dourados, três.  No Bolsão, o grande produtor de abacaxi é Tres Lagoas, com 34 hectares. Na região de Campo Grande, a atividade é bastante significativa com 112 ha; Jaraguari teve cultivo de 42 hectares; Terenos, 21 ha; na Capital,15 ha; Corguinho, 15 ha; e Rochedo, 12 ha.
Também no norte, alguns municípios se destacaram, como Rio Verde, com 12 hectares de abacaxizeiros, e Coxim, com 10 ha. No sudoeste, Miranda e Anastácio plantaram 12 hectares.
O abacaxi é um fruto típico das regiões tropicais e subtropicais e é explorado economicamente na maioria dos Estados. A produção é positiva em regiões que registram entre 1.000 e 1.500 milímetros de chuva por ano. Durante o período de crescimento vegetativo, o abacaxi é sensível à falta de umidade.
O abacaxizeiro é uma planta que atinge um metro de altura. No Brasil são cultivadas várias espécies, como o abacaxi-amarelo, porém o que se destaca é a variedade Pérola, de polpa amarelada, bastante doce, casca esverdeada, mesmo quando maduro, e pouco acidez.
Ele é rico em vitaminas C, B1, B6, ferro, magnésio e fibras. Previne dor de garganta e resfriado e é bom para a circulação por conter a enzima bromelina. Serve também como tempero para amaciar carne.

Leia Também