Sexta, 24 de Novembro de 2017

Primeiras doses devem ser aprovadas em 2013

15 MAR 2010Por 09h:02
A busca pela vacina vem consumindo recursos desde a década de 90 e, segundo especialistas, pode ser a solução para lidar com o problema que tanto afeta os países tropicais. Diante da explosão do número de casos no mundo, uma corrida entre as principais farmacêuticas foi lançada. Só a empresa que está desenvolvendo a vacina que será testada em Campo Grande, a francesa Sanofi-Aventis, prevê investimento em torno de US$ 1 bilhão (R$ 1, 88 bilhão), com projeção de ter as primeiras doses aprovadas em 2013. Como é uma doença típica de países pobres – de clima tropical – durante muito tempo a indústria farmacêutica não teve interesse em investir no desenvolvimento de uma vacina, por falta de perspectiva de lucratividade. O quadro mudou desde que a incidência da dengue nos países latinoamericanos aumentou cinco vezes nos últimos 30 anos. Na década de 80, cerca de 1 milhão de pessoas ficaram doentes por causa da dengue na América Latina. Nos anos 90, o número saltou para 2,7 milhões. Entre 2000 e 2007, a Organização Pan-americana de Saúde contabilizou 4,8 milhões de casos. O número de mortes também cresceu. Passou de 242, nos anos 80, para 1,4 mil entre 2000 e 2007. Uma das dificuldades é que são quatro os vírus causadores da dengue, tipos 1, 2, 3 e 4, que ainda não foi detectado no País, mas já tem incidência na Venezuela. (FP)

Leia Também