Quarta, 22 de Novembro de 2017

Primeira-dama deve continuar na cadeia

16 SET 2010Por 12h:59

A juíza da 1ª Vara Criminal de Dourados, Dileta Terezinha de Souza Thomaz, negou ontem pedido de habeas corpus em favor da primeira-dama de Dourados, Maria Freitas Artuzi. Ela era coordenadora de Políticas Públicas para Mulheres no município e foi presa na Operação Uragano da Polícia Federal.
Carlos Marques, advogado de Maria Artuzi, disse que irá recorrer ao Tribunal de Justiça. Ele alega que não há motivos para manter a primeira-dama presa e lembrou que o próprio TJ concedeu o benefício da liberdade a quatro secretários municipais, anteontem. Marques argumenta também que ela é mãe de duas meninas, uma com 15 anos e outra completa cinco anos hoje, que estão sob os cuidados de uma tia.
Maria foi flagrada nas investigações da Polícia Federal em gravações feitas pelo secretário municipal de Governo Eleandro Passaia recebendo dinheiro de propina. Conforme as investigações, o prefeito Ari Artuzi também teria mandado desviar recursos da Secretaria Municipal de Saúde, cerca de R$ 9 mil, para que a esposa fizesse uma cirurgia estética.
A primeira dama está na lista das 60 pessoas indiciadas pela Polícia Federal e denunciadas pelo Ministério Público Estadual (MPE) por crimes como formação de quadrilha, desvio de verbas públicas e fraudes em licitações. (FD)

Leia Também