Sábado, 18 de Novembro de 2017

Pressionado, Edil pode recuar e aceitar suplência

17 JUN 2010Por 06h:12
lidiane kober

Aliados do governador André Puccinelli (PMDB) pressionam o vice-prefeito Edil Albuquerque (PMDB) para recuar e aceitar ser suplente do vice-governador Murilo Zauith (DEM) na corrida por vaga de senador. Edil saiu da disputa por sentir-se excluído, depois de Puccinelli dar como certa a eleição de Waldemir Moka (PMDB) e de Delcídio do Amaral (PT) ao Senado. Ele chegou a romper publicamente sua relação política com o governador.
Ontem, o vice-prefeito reuniu-se com um grupo de vereadores de Campo Grande e, depois, com Puccinelli e o prefeito Nelsinho Trad (PMDB), na governadoria. “Os apelos foram sequenciais para eu voltar a ser o suplente do Murilo”, contou Edil. “O vice-governador disse que, se eu não sair, ele não sai (candidato)”, completou.
Diante da pressão partidária, antes de decidir, Edil quer conversar mais com sua família e com Nelsinho. “É difícil dizer não para um amigo”, reconheceu. Segundo ele, até o final desta semana ou, no mais tardar, na próxima segunda-feira, sua decisão será anunciada.

Leia Também