Domingo, 19 de Novembro de 2017

Presídio de Campo Grande tem mais de 50 vagas em aberto

24 JAN 2010Por 06h:49
O Presídio Federal de Campo Grande tem hoje 55 vagas em aberto, de um total de 208 celas individuais disponibilizadas. A informação é do Ministério da Justiça, que pretende colocar em operação, antes do carnaval, 208 vagas no Presídio Federal de Mossoró (RN), unidade em processo de ativação. Segundo a diretoria do Sistema Penitenciário Federal, cerca de 140 transferências já foram liberadas para Mossoró, mas as inclusões ainda dependem de autorizações dos juízes dos processos e do juiz corregedor da penitenciária localizada na Região Nordeste. A assessoria do Ministério da Justiça adiantou, porém, que ainda não está prevista nenhuma remoção de condenados que hoje ocupam vagas em estabelecimentos penais estaduais ou mesmo no Presídio Federal de Campo Grande. Pelo controle do Sistema Penitenciário Federal, atualmente são 132 detentos no presídio de Catanduvas, 153 em Campo Grande e 69 em Porto Velho. Cada unidade tem 208 vagas, representadas por celas individuais. Além de estar se programando para ativar a unidade de Mossoró na primeira quinzena do próximo mês, o Departamento Penitenciário Federal (Depen) pretende construir mais um presídio, fechando a primeira etapa do seu programa. Em breve será erguida a quinta unidade penal federal, desta vez Brasília (DF). O projeto encontra-se na fase de licitação. Junto a esse trabalho, o Ministério da Justiça vem executando a Operação Retorno, que tem como meta transferir, ainda neste ano, 1.400 presos em todo o País para acelerar o andamento de processos. São criminosos capturados no Estado e que têm processos em andamento em outras localidades. Mato Grosso do Sul vai devolver 103 presos para outros estados e para retornar ao Estado o Depen contabiliza 52 presos. Segurança máxima Os presídios federais, considerados de segurança máxima, são monitorados 24 horas por mais de 200 câmeras de vídeo, que enviam imagens em tempo real para duas centrais: na própria unidade e no setor de inteligência penitenciária do Depen, em Brasília. Toda infraestrutura das unidades federais foi pensada para que rebeliões, tentativas de fuga e de resgate sejam integralmente descartadas. Cada unidade tem 12,7 mil metros quadrados de área construída e capacidade para 208 presos em celas individuais, divididas em quatro vivências (pavilhões). As penitenciárias também dispõem de 12 celas de isolamento para presos colocados no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) em razão de sua periculosidade ou por questões disciplinares.

Leia Também