Domingo, 19 de Novembro de 2017

Presa ao cinto de segurança, médica é arrastada durante assalto em PE

24 ABR 2010Por 07h:00
Recife

Uma médica de 45 anos ficou presa ao cinto de segurança e foi arrastada por cerca de cem metros durante um assalto na manhã desta sexta-feira, no bairro Madalena, zona norte do Recife. De acordo com o delegado Nelson Souto, da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos, a médica foi surpreendida pelo assaltante por volta das 5h30min, quando estava em frente ao portão de sua casa, após voltar do trabalho. Com o susto, ela não teve tempo de tirar o cinto de segurança.

O criminoso entrou no carro, deu partida e a vítima ficou pendurada até conseguir se soltar. Duas câmeras de segurança do edifício registraram o momento da abordagem. A médica foi levada com várias escoriações pelo corpo ao hospital Santa Joana, no bairro Graças. Ela fez exames, que não detectaram nenhuma fratura, e foi liberada.

Ainda segundo o delegado, até as 15h45min desta sexta, a polícia ainda não havia encontrado o suspeito nem o veículo roubado. “Na hora que eu estava sendo arrastada pensava que a minha pele tinha caído todinha. Aí ele parou, porque as pessoas ficaram gritando na rua, e eu consegui me soltar”, disse a vítima, que não teve o nome divulgado, segundo o “Jornal Hoje”, da Rede Globo.

Outros casos
Em fevereiro de 2007, o menino João Hélio Fernandes Vieites, 6, morreu após ser arrastado por 7 quilômetros nas ruas da zona norte do Rio, preso ao cinto de segurança do veículo levado por assaltantes.
Em 2008, foram registrados vários casos semelhantes. Em março, um homem ficou gravemente ferido depois de ser arrastado por cerca de 30 metros por criminosos que roubaram seu carro, no bairro Jardim das Mansões, em Campo Grande (MS). Outro caso aconteceu no dia 7 de junho, quando o soldado do Exército Leonardo Sales da Silva, 19, morreu após ser atropelado e arrastado por 15 quilômetros em Campo Grande. Também foram registrados casos em Diadema (SP) e Araraquara (SP).

Leia Também