Sexta, 24 de Novembro de 2017

Preço do álcool cai R$ 0,27 em 20 dias

22 MAR 2010Por 08h:08
Em 20 dias o preço médio do álcool combustível caiu R$ 0,27 em Campo Grande. A retração foi de 13% em comparação com o início do mês, revelando redução de mais de R$ 0,01 por dia, conforme pesquisa feita pela equipe de reportagem do Correio do Estado. Na primeira semana de março, o valor médio do combustível na Capital era R$ 2,05, e ontem, R$ 1,78. Nos 42 estabelecimentos pesquisados, as cotações do álcool variaram entre R$ 1,65 e R$ 2,07. A média, de R$ 1,78, ainda não é vantajosa para o consumidor, pois representa 72,3% do preço médio da gasolina (R$ 2,46) – o recomendado é que o percentual fique abaixo dos 70% para gerar economia. A queda mais representativa do combustível ocorreu nos últimos dez dias, quando houve decréscimo de R$ 0,21 no preço médio, que passou de R$ 1,99 para 1,78. De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Automotivos e de Lubrificantes de Mato Grosso do Sul (Sinpetro-MS), a situação é reflexo dos altos volumes acumulados nas distribuidoras. Com muita oferta e pouca demanda a tendência é de queda nos preços para “desencalhar” os estoques. Com a disparada dos preços nos últimos três meses, que deixou o etanol cerca de 11,5% mais caro em Mato Grosso do Sul, os consumidores proprietários de carros bicombustíveis (movidos a álcool e gasolina) — que hoje representam 18% da frota total de Campo Grande (345.228 veículos), segundo o Departamento de Trânsito do Estado (Detran-MS) — trocaram o álcool pela gasolina. A iniciativa fez as vendas do produto nos postos sofrerem retração sign ificat iva, passando a representar apenas 10% do total das comercializações, enquanto antes o percentual era de 40%. Outro fator que colaborou com a atual queda nas cotações foi o início da col heita da cana-de-açúcar, que neste ano tem previsão de aumento de 7% na safra (2009/2010), em relação à safra 2008/2009, conforme o Terceiro Levantamento de Safra da Companhia Nacional do Abastecimento (Conab). Com isso, a produção brasileira de álcool deve crescer 3% neste ano, chegando a 25,8 bilhões de litros. Gasolina Como a gasolina brasileira tem adição de álcool, o anidro, na proporção de 20%, houve retração também nos preços desse combustível na Capital. O valor médio desde o início de março sofreu decréscimo de R$ 0,11, passando de R$ 2,57 para R$ 2,46 – queda de 4,3% em 20 dias. A cotação mais barata encontrada pela pesquisa foi de R$ 2,37 e a mais cara R$ 2,69.

Leia Também