Sábado, 18 de Novembro de 2017

Preço do álcool cai 18,4% nas usinas, mas não beneficia consumidor

27 ABR 2010Por 20h:14

VERA HALFEN

 

O preço do álcool hidratado combustível, nas usinas, já caiu 18,46%, porém as distribuidoras reduziram 7,7% ao vender esse combustível aos postos e estes, para o consumidor final, vendem 13,66% menor, ao comparar os valores praticados desde o produtor ao comprador final, no período de 1º de março a 26 de abril. A instabilidade das cotações, no período, chegou a derrubar os preços em mais de 15% em cinco dias e, em seguida, elevou o valor em mais de 18%. Em 1º de março a cotação era de R$ 0,9350 e nesta semana está em R$ 0,7624.

Nas distribuidoras, o custo do álcool manteve-se praticamente estável no período, com pequenas reduções ou alterações entre R$ 0,04 e R$ 0,06. No período de 1º de março a 26 de abril, o índice recuou 7,7%, caindo de R$ 1,56 para R$ 1,44. Já nos postos, que vendiam o derivado da cana a R$ 2,05, hoje o preço médio está em R$ 1,77 (-13,66%).

Por conta da instabilidade dos preços do álcool, a gasolina comum também apontou elevação. Em um período de dez dias, elevou o valor médio de R$ 2,52 para R$ 2,58 na última semana.

 

Anidro

O álcool anidro, que é adicionado à gasolina A para formar a comum, já aponta queda de 17% no mesmo período. Na primeira semana de março, o anidro estava cotado a R$ 1,1198, caindo para R$ 0,9288.

Safra

As razões das constantes oscilações da cotação do álcool, mesmo em plena safra, segundo representantes dos produtores, foram as constantes chuvas que ocorreram no início de abril, impedindo a retirada da cana-de-açúcar das lavouras. A queda na cotação das duas últimas semanas deve-se à normalização da colheita.

Leia Também