Quinta, 23 de Novembro de 2017

Preço da tonelada de adubo caiu 10% na safra

5 ABR 2010Por 22h:00
 Dourados

Os preços de fertilizantes tiveram queda de 10% na safra 2009/2010 na região sul do Estado, de acordo com levantamento feito pela Embrapa Agropecupária Oeste, de Dourados. A redução deste e de outros componentes fizeram o agricultor gastar bem menos no último plantio.
A tonelada de adubo no auge da crise mundial de oferta na safra 2008/2009, chegou a custar perto de R$ 1.400, onerando muito as despesas dos produtores de soja. Mas hoje não atinge R$ 900, dependendo da formulação, citou ontem o agrônomo e sócio de revenda de insumos agrícolas em Dourados, Sérgio Luiz Miranda.  
O analista da Embrapa Agropecuária Oeste, Alceu Richetti, apurou que a queda no preço dos fertilizantes e outros insumos, foi responsável pela redução de 24,7% nos custos de produção da soja convencional para a safra recém colhida no sul de Mato Grosso do Sul.
Ele citou que este decréscimo foi motivado pela crise financeira que reduziu a demanda e gerou estoques elevados de adubo, a desvalorização do barril de petróleo, a baixa cotação do dólar e queda no preço das matérias-primas usadas na produção dos fertilizantes, principalmente as derivadas de petróleo.
Na safra 2008/2009, os fertilizantes representaram, em média, 33,6% do custo total das lavouras de soja, e na última teve impacto médio de 23,8%, de acordo com Richetti. O cultivo de um hectare de soja convencional foi estimado em R$ 1.224 e a transgênica, em torno de R$ 1.282.
Sérgio Miranda explicou que atualmente no mercado de insumos de Dourados a tonelada de fertilizante varia de R$ 800 a R$ 860, conforme a composição do N, P, K, que tem formulações como 4.20.20; 8.20.20 e 10.15.15. Mas no início da atual safra de soja, os produtores chegaram a encontrar a tonelada de R$ 700 a R$ 720.
O também agrônomo e produtor Gilberto Bernardi destacou que o preço do fertilizante varia conforme a quantidade adquirida. “Se  for carga fechada o preço cai razoavelmente. Mas se for em quantidades menores, o produto acaba passando por intermediários e onerando o seu custo”. Hoje a tonelada da formulação mais comum (4.20.20) pode ser encontrar a R$ 750.

Milho safrinha
O plantio do milho safrinha não pressionou os preços do adubo na região porque quem plantou cedo ainda fez uso de insumo. Mas aqueles que investiram na cultura mais tarde, após dez de março, acabaram dispensando a aplicação para reduzir custos e diminuir os prejuízos em caso de perda por seca ou geada, observou Miranda. (CF)

Leia Também