Quarta, 22 de Novembro de 2017

Posse no PT marca início do Grupo de Trabalho Eleitoral

9 FEV 2010Por MARCO EUSÉBIO01h:45
A troca de comando no PT estadual em ato a ser realizado amanhã no Diretório Regional do partido marca a definição da equipe de campanha que cuidará da précandidatura do ex-governador José Orcírio Miranda dos Santos ao Governo de Mato Grosso do Sul nas eleições deste ano e também a de reeleição do senador Delcídio do Amaral. Marcus Garcia assumirá a presidência regional como nome de consenso dos grupos ligados às duas principais lideranças e sua primeira atribuição será presidir o Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE). Integrado por todas as correntes petistas, o grupo coordenará o processo eleitoral e alianças partidárias. Com a presença de José Orcírio e de Delcídio do Amaral, o ato de posse do diretório regional terá início às 14 horas dessa quarta-feira na sede do PT estadual em Campo Grande. “É o início da grande caminhada”, definiu Orcírio, ao convidar seguidores para o evento, ontem, na rede de microblogs Twitter, na internet. Além de deputados federais, estaduais e demais lideranças petistas, a posse de Marcus Garcia em substituição ao deputado estadual Amarildo Cruz tem como convidados dirigentes e lideranças do PDT, PTB, PMN, PSB, PP, PHS, PSC, PSTU, Psol, PV e outras siglas da pauta de conversações do projeto eleitoral. Equipe de campanha Além de Garcia na presidência, outros nomes estão definidos no comando do GTE. Quem cuidará da agenda dos pré-candidatos majoritários será Ananias Costa (ex-diretor do Banco do Povo na gestão estadual petista). A arrecadação de recursos de campanha ficará a cargo de Carlos Augusto Longo (exsecretário de Infra-Estrutura estadual). A mobilização interna (articulações dentro do partido) será coordenada por Válber Noleto, da assessoria de Delcídio. Para elaboração do programa de governo, deve ser indicado ainda hoje Davi Lourenço, ex-superintendente estadual do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Conforme Marcus Garcia, o programa de governo terá participação da sociedade civil organizada. “Faremos reuniões plenárias em 13 cidades para ouvir todos os segmentos”, adiantou. Outros nomes do GTE serão escolhidos em breve. Falta definir quem cuidará da elaboração de chapas de deputado estadual e federal e da política de alianças.

Leia Também