Domingo, 19 de Novembro de 2017

Show

Porcas Borboletas em show performático

22 JAN 2010Por Oscar rocha06h:36
Dizem que os mineiros trabalham em silêncio. Para a banda Porcas Borboletas, de Uberlândia, o dito popular é coisa do passado. Atualmente, a formação é uma das mais barulhentas do cenário musical de Minas Gerais; senão do ponto de vista sonoro, pelo menos nos comentários e elogios proferidos pela imprensa – a música “Menos” foi escolhida com uma das melhores do ano pela revista “Rolling Stones” –, artistas e os seguidores da cena indie nacional. Hoje, às 23h, no Barfly, inaugurando a edição 2010 do Projeto Bigornada, o público local pode conferir a performance da banda. “Acho que chamamos a atenção no momento por dois aspectos: o primeiro, pela estética. Não é fácil rotular o que fazemos. Nosso show é uma experiência para quem vê, sempre suscitamos reações no público. O segundo, é a possibilidade de participar do Coletivo Goma, em Uberlândia, que faz parte do Fora do Eixo, que possibilitou que participássemos de festivais, quando mais gente conheceu nossa proposta”, avalia um dos vocalistas e letrista da banda, Enzo Bonzo. A formação existe há 10 anos e recebeu mais atenção a partir de 2005, quando o álbum “Um carinho com os dentes” foi lançado. “Nossa carreira é construída passo a passo. Não é por meio de um estouro. As coisas acontecem naturalmente pra gente”. No palco, 7 músicos utilizam guitarra, baixo, bateria, percussão, sampler, violão, além de muita ironia e provocação para chegar ao público. “Não fizemos curso de teatro ou algo parecido, mas temos um lado performático em cena. Isso chama muito a atenção”. Musicalmente, a banda não se fixa em nenhum gênero específico, como jazz, MPB, rock... A influência passa pela Tropicália, Secos e Molhados, Novos Baianos, Vanguarda Paulista, rock dos anos 80. “Não somos uma banda disso ou daquilo, mas temos influência de todas essas coisas”. O mais recente CD traz participação de artistas como Arrigo e Paulo Barnabé, Leandra Leal, entre outros. Leandra entrou no álbum por causa da participação do grupo na trilha sonora do filme “Nome próprio”, de Murilo Salles, no qual era atriz principal. “A escritora Clara Averbuck, que escreveu o livro no qual o filme é baseado, conheceu nosso disco e passou para o diretor. Acabamos escrevendo uma música que aparece nos créditos finais do filme. A partir disso, Leandra conheceu nosso trabalho e participou do CD”. Sobre o show, Enzo é enfático e enigmático: “O show é diferente do que as pessoas estão acostumadas a ver. Provocamos muito a platéia. Talvez o show traga mais perguntas do que respostas”. Também participam da Bigornada as bandas Facas Voadoras, Jennifer Magnética e Dimitri Pellz.

Leia Também