Segunda, 20 de Novembro de 2017

Polo industrial das Moreninhas pronto no dia 30

24 AGO 2010Por 09h:25
Em meio a uma clareira, pisando em pedras de calçamento, o prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) vistoriou, na tarde de ontem, o lugar que pretende transformar em ímã de empresas “com bala na agulha”. O polo empresarial das Moreninhas, na região Sul, há anos nos planos da Prefeitura de Campo Grande, ganhou o nome de Wilmar Lewandowsky. As obras de infraestrutura serão lançadas na manhã do dia 30 para chamar a atenção para o lugar, ainda fora da rota dos investidores.
O local tem 52 hectares, na BR-040, que podem ser divididos em 66 lotes de 5 mil metros quadrados ou 165 lotes menores, de 2 mil metros quadrados. O tamanho vai depender da empolgação das empresas. O polo ainda é embrionário, mas já tem perspectiva de empregos: 15 mil, incluindo os que trabalharão nas obras dos empreendimentos e casas populares.
O prefeito evitou falar sobre interessados em instalarem-se no quinto polo empresarial da cidade, apenas disse que elas “têm que ter ‘bala na agulha’” e  que “não serão empresas que estão começando, mas que já estão estruturadas e podem gerar muitos empregos”.
O secretário de Desenvolvimento, Natal Baglioni, que acompanhou a vistoria, afirmou haver interesse de companhias siderúrgicas, de olho na estrutura de escoamento de cargas do local. Atrás do terreno, há linha de trem e acesso a estradas federais. De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura, será construído novo acesso às Moreninhas ao custo de R$ 61 milhões, dos quais R$ 57 serão obtidos via governo federal.
O terreno foi doado pelo empresário dos setores de construção e automóveis da Capital, Fernando Garcia, em troca de licença para construir e vender casas em terreno próximo ao polo. Ele também doou 850 lotes para construção de moradias que abrigarão futuros trabalhadores do local. A região é habitada por 83 mil pessoas que poderão servir de mão de obra às empresas que chegarão. (CHB)

Leia Também