Terça, 21 de Novembro de 2017

Piloto faz conversão errada e mata a esposa

23 ABR 2010Por 01h:13
NADYENKA CASTRO

Maria das Neves da Silva Sales, 42 anos, morreu em colisão com um caminhão ocorrida na tarde de ontem, em Campo Grande. Ela é mais uma pessoa que vai virar número na estatística de mortes ocorridas no trânsito da Avenida Marechal Deodoro, Bairro Aero Rancho, considerada uma das mais violentas da Capital.

Maria era passageira da Honda Biz pilotada pelo marido dela, Adebal Sales, 53 anos, que teve algumas escoriações  e confessou que o acidente aconteceu após ele ter feito uma conversão proibida no local onde não há placas que indiquem que o retorno não é permitido.” Eu fiz a conversão errada”, declarou. Adebal conta que seguia pela pista centro/bairro e após fazer a conversão para prosseguir no sentido inverso, aconteceu a colisão. “Quando entrei (na via) olhei no retrovisor e vi ele (o caminhão) longe. Depois, só ouvi a pancada”, diz.

Adebal entrou com a moto na faixa da esquerda, de um total de três, da avenida. A motocicleta que ele conduzia foi colhida por trás por um caminhão que transportava uma caçamba. O motorista, Marcelo Nogueira de Moraes, foi levado para a Companhia Independente de Polícia de Trânsito (Ciptran). No asfalto ficaram marcas de frenagem do caminhão. Com o impacto, Maria foi derrubada da moto e quebrou o pescoço. Nas mãos de Adebal ficaram manchas de sangue da esposa, que ele ainda tentou socorrer.

Trabalhadores de um comércio próximo disseram que não viram a colisão, mas ouviram o barulho do impacto. Familiares da vítima estiveram no local e declararam que Maria das Neves morava na Vila Kelly, que fica nas proximidades, e que ela iria com o marido a uma casa lotérica.
Sinalização

No local onde Adebal fez a conversão não há placas que indiquem que o retorno, para quem segue no sentido centro/bairro, é proibido ali. Nem mesmo a metros antes. O que há são placas que sinalizam sentido único. No entanto, pelas regras de trânsito, fica claro que é proibido o retorno no local. A conversão só é permitida para quem segue na pista bairro/centro e quer fazer o retorno.

De acordo com a Ciptran, apesar da regra de circulação, o motorista não pode ser penalizado porque não há sinalização.

Números
Últimos dados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) apontam que a Avenida Marechal Deodoro está entre as 10 mais violentas da Capital. A Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran) também coloca a avenida como uma das mais perigosas de Campo Grande.

Em dezembro do ano passado, 12 acidentes foram registrados na via e a mesma quantidade de pessoas ficaram feridas. Somente neste ano, pelo menos duas pessoas morreram atropeladas por motocicletas na avenida. Maria das Neves foi mais uma vítima de acidente fatal no local.

Estatística divulgada pela Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) mostra que de janeiro a março deste ano foram registrados 29 acidentes fatais em Campo Grande. São ocorrências em que há óbito no local. Neste caso, não são contabilizadas as mortes ocorridas em hospitais ou em ambulâncias.

Leia Também