Domingo, 19 de Novembro de 2017

Petrobras pode elevar capital social em até R$ 150 bilhões

14 SET 2010Por 09h:19

São Paulo

Por meio de decreto, o Governo federal autorizou a Petrobras a aumentar seu capital social em até R$ 150 bilhões. De acordo com o texto publicado ontem no “Diário Oficial da União”, o aumento do capital poderá ser feito até o limite de 5,6 bilhões de novas ações.
Na semana passada, o anúncio da capitalização previu valores um pouco abaixo, porque foram estruturados desta forma pela empresa. Mesmo que o limite seja de R$ 150 bilhões, a capitalização pode chegar ao limite dos R$ 127,4 bilhões previstos na semana passada.
O decreto publicado ontem também formaliza o limite máximo de 5,6 bilhões de ações ofertadas, sendo 3,2 bilhões de ações ordinárias e 2,4 bilhões de ações preferenciais. No anúncio da capitalização, a empresa havia informado que a oferta de ações neste modelo de capitalização deve chegar, no máximo, a 4,3 bilhões, sendo 2,5 bilhões de novos papéis ordinários e 1,8 bilhão de novas ações preferenciais, segundo comunicado enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários).
A capitalização é uma forma de garantir dinheiro no caixa da estatal sem precisar recorrer a empréstimos.
Maior oferta de ações em curso no mundo, a capitalização da Petrobras ocorrerá em duas etapas, que acontecerão simultaneamente. Na primeira, 80% dos novos papéis vão direto para os atuais acionistas, que terão prioridade de compra.
Os 20% restantes serão oferecidos aos demais interessados, sejam eles brasileiros, sejam estrangeiros. Desse lote, os investidores pessoa física ficarão com 10% a 20% das ações. Os funcionários da estatal têm direito de levar até 50% da oferta do varejo, mas não poderão vender os papéis por 365 dias.
O preço das ações na oferta será fechado no dia 23, e os novos papéis começam a ser negociados no dia 24 na Bolsa de Nova York. No Brasil, a estreia será no dia 27. O dinheiro arrecadado entra no caixa da Petrobras já no dia 29 deste mês, com folga de um dia da data máxima estipulada pelo governo.
A Petrobras vai promover a capitalização – aporte de recursos de acionistas ou de investidores – para pagar por até 5 bilhões de barris em reservas que a União lhe cederá e levantar dinheiro para novos investimentos.

Leia Também