Sábado, 18 de Novembro de 2017

Pesquisadores americanos continuam presos em Corumbá

19 JUN 2009Por 17h:23
     Os três pesquisadores americanos presos sob acusação de extraírem ilegalmente amostras do solo do fundo da lagoa Baía Vermelha, no Pantanal, permaneciam presos nesta sexta-feira, 19, à disposição da Justiça. Os dois brasileiros detidos com eles pagaram fiança de R$ 1.550, cada um, e foram liberados na quinta, 18.

        A Polícia Federal (PF) surpreendeu o grupo na lagoa, situada em área de preservação, no fim da tarde de quarta-feira. Segundo a corporação, nenhum deles possuía permissão de órgãos do governo do Brasil, nem comprovante de intercâmbio ou convênio com entidade de pesquisa. Todos acabaram autuados em flagrante por usurpação de bem da União e pesquisa sem autorização, crimes cujas penas preveem até cinco anos de detenção e aplicação de multa.

        Doutorandos do Instituto de Geociências e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista (Unesp), Aguinaldo Silva e Fabrício Aníbal Corradini ficaram presos na delegacia da PF em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, por cerca de 24 horas. A Unesp rebateu a acusação da PF: ambos atuavam com permissão do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

        Com informações da Agência Estado

         

Leia Também