Quinta, 23 de Novembro de 2017

MEIO AMBIENTE

Pesquisadoras americanas detidas pela PF

7 SET 2010Por 20h:55
Sílvio Andrade, Corumbá e Thiago Gomes

A Polícia Federal de Corumbá flagrou um grupo de quatro pesquisadoras americanas – seus nomes não foram divulgados – retirando material genético e químico contido nas águas do Rio Paraguai, no Pantanal, local considerado área de preservação permanente. Elas não tinham autorização das autoridades brasileiras.


Levadas para a delegacia, constatou-se que as pesquisadoras entraram no Brasil com visto de turistas. A PF informou que está abrindo inquérito para esclarecer o caso.

De acordo com as informações divulgadas ontem, acompanhadas de 19 estudantes americanos, as pesquisadoras foram abordadas no Porto Geral de Corumbá, depois de retornarem de uma expedição no Pantanal. Elas  já teriam passado pela Amazônia e Mato Grosso. O grupo tinha apenas o visto de turista e não portava licença do governo brasileiro para realizar pesquisas em território nacional.

Os policiais que fizeram a abordagem apreenderam materiais utilizados nos trabalhos de pesquisa, além de uma série de anotações. Contudo, nenhum material coletado foi encontrado em poder do grupo.

As americanas tiveram o visto de turista cancelado e foram notificadas a deixar o Brasil em oito dias. Antes da saída da Delegacia da Polícia Federal de Corumbá, o grupo manteve contato com a embaixada dos Estados Unidos, em Brasília. Cada uma delas recebeu multa de R$ 200.

O material coletado seria levado para os Estados Unidos com finalidade ainda não esclarecida. Os agentes apreenderam equipamentos, como reagentes para análise da água, GPS e os registros de anotações. Ainda conforme a Polícia Federal, durante interrogatório, as pesquisadoras recusaram-se a revelar o motivo da pesquisa.

 Em junho de 2009, a PF prendeu três cientistas norte-americanos na Baía Vermelha, região da Serra do Amolar (Pantanal, norte de Corumbá), onde realizavam pesquisas e lavra sem permissão legal. O trio ficou preso nove dias e pagou fiança total de R$ 15 mil. Eles respondem pelos crimes de usurpação de patrimônio da União, lavra e pesquisas em área de preservação permanente.

Ontem, ao divulgar o flagrante das americanas, a PF informou que está atenta para estrangeiros que ingressam no país com tais objetivos, sem estarem devidamente autorizados. O grupo teria colhido amostras e dados em outros estados.

Leia Também