Sexta, 24 de Novembro de 2017

Pesquisador busca esclarecer o efeito placebo

3 JUL 2010Por 19h:00
     

A expressão "ligação mente-corpo" possui muitas conotações. Para alguns, é uma indicação de charlatanismo da Nova Era. Para outros, é uma fonte de esperança e uma maneira de reconciliar sua vida espiritual com a ciência moderna. Para o Dr. Tor D. Wager, é apenas mais um dia no escritório.

Wager é professor de psicologia na Universidade do Colorado. Sua especialidade é a neurociência e a neuroimagem, mas sua paixão é o efeito placebo - fenômeno que apresentou uma ressurreição nos últimos anos e está sendo estudado por pesquisadores de muitos lados da ciência.

Grande parte dessa atenção é um resultado do tipo de imagens do cérebro que Wager faz, e ele é uma figura principal na nova geração de pesquisadores sobre o placebo.

E isso pode fazer seu histórico parecer improvável. Wager, de 35 anos, foi criado na ciência ristã, religião bastante conhecida por sua aversão ao tratamento médico. Porém, sua família não era rígida em relação a isso; ele se recorda de um incidente de sua infância, no Colorado, que poderia servir como um arauto de sua carreira.

Ainda bebê, ele teve uma irritação, e depois de muita reza sua mãe o levou a um médico, temendo a febre escarlate. "O médico disse: ?Aqui está um creme, espalhe no local?, e a irritação foi embora", contou Wager.

Junto com ela foi a agonia de sua mãe. Seu pulso provavelmente desacelerou, ele diz hoje, e sua respiração relaxou - exatamente o efeito que um placebo pode ter num paciente aterrorizado.

Leia Também