Sábado, 18 de Novembro de 2017

Televisão

Personalidade secreta

5 JUL 2010Por 06h:14
Luana Borges, PopTevê

Dona de um olhar penetrante e de uma beleza exótica, Cléo Pires gosta de fazer mistério. A atriz, que irá viver a Estela de “Araguaia”, próxima novela das seis da Globo, prefere não compartilhar tudo em sua vida. “Acho saudável a gente ter nossos segredos, coisas que são só nossas”, explica. Agora, na pele de mais uma personagem incomum – depois de viver a malvada Surya, em “Caminho das Índias” –, poderá extravasar esse seu lado.
Ainda no início das gravações da trama de Walter Negrão, ela define Estela como uma mulher com motivações não-reveladas. “O meu papel tem muitos segredos que vão sendo mostrados no decorrer dos capítulos”, adianta. Apesar disso, a atriz não encara a personagem como a grande vilã. “A Estela é a antagonista, não é uma vilã. Mas, com certeza, mocinha ela também não é”, ressalta, aos risos
No início da história, Estela, uma golpista, é casada com Fernando, interpretado por Edson Celulari, um homem de caráter duvidoso. Com a morte dele, depois de seis capítulos, ela acaba se apaixonando pelo enteado, Solano, vivido por Murilo Rosa, filho de Fernando. O rapaz corresponde, mas se sente culpado. Só que esse conflito amoroso dará muito “pano para manga”. Afinal, Solano também fica atraído por Manuela, de Milena Toscano – a protagonista –, que está noiva de Vitor, de Thiago Fragoso. Tanta confusão não é à toa. Na trama, Estela age sempre de caso pensado. “A Estela é muito adaptável. Ela se ajusta às situações para chegar onde quer. Gosto disso”, anima-se. “Parto do princípio de que ela é muito observadora”, completa.
Mas, quando foi convidada para atuar em “Araguaia” pelo diretor Marcos Schechtman, Cléo estava escalada para fazer, justamente, o papel oposto: o da mocinha. A princípio, Estela ficaria por conta de Juliana Paes que, com a gravidez, teve de ser substituída. “Me colocaram no lugar da Juliana e a Milena ficou com a personagem que seria minha”, revela. Agora, com todos os papéis definidos, a atriz trabalha na composição de Estela, o que não deve exigir mudanças bruscas em seu visual. “Acho que vai ser mais ou menos isso aqui mesmo”, ressalta ela, que continua com os cabelos longos e no tom castanho escuro.  
Além disso, Cléo participou, durante dois dias, de uma série de “workshops” com o elenco para conhecer um pouco sobre a região do rio Araguaia, local onde se passa a trama. Na ocasião, assistiu a palestras com o índio Iwraru, da tribo carajá; com o dono de um camping na região do Araguaia; com uma culinarista local, além de ter visto a apresentação da dança típica catira e ter tido uma aula de história sobre o rio, ministrada pelo historiador Leandro Karnal. “Se você absorveu o que foi dito, vai relacionar alguma coisa do personagem com as informações”, garante. Mas o Araguaia não é nenhuma novidade para ela. Afinal de contas, Cléo está acostumada a frequentar o local desde pequena. “Conheço mais a parte de Aruanã e a alta temporada de lá, que tem pessoas andando de ‘jet ski’ e nos acampamentos. É tudo familiar para mim”, afirma a atriz, que está no rio Araguaia desde o último dia 23 gravando suas primeiras cenas.
Em sua quinta novela, Cléo, aos 27 anos, ainda se considera uma novata. Ela começou a trabalhar no filme “Benjamin”, quando tinha 19 anos. Depois, em 2005, teve sua estreia na tevê como a Lurdinha, em “América”, da Globo. Em seguida, atuou em “Cobras & lagartos”, “Ciranda de Pedra” e “Caminho das Índias”. Mesmo assim, sabe que tem um caminho extenso pela frente. “Ainda me sinto bem no início da carreira. Fiz pouca coisa”, frisa. Mas, apesar de se sentir inexperiente, Cléo prefere não pegar dicas com sua mãe, a renomada Glória Pires. “Gosto muito de fazer as coisas do meu jeito, de me colocar à prova das situações. Faz parte ‘quebrar a cara’”, destaca.

Leia Também