Terça, 21 de Novembro de 2017

Período eleitoral abre oportunidade para pequenas empresas

27 AGO 2010Por 23h:00
     

Período eleitoral inspira oportunidades para pequenas empresas

Estar atento às oportunidades sazonais, que de tempos em tempos surgem no mercado, pode ser um importante diferencial para fazer crescer o faturamento da empresa. É o que acontece agora com as campanhas políticas que, durante o momento eleitoral, aquecem diversos setores da economia. A demanda aumenta e, de acordo com o consultor do Sebrae, Mauro Vieira, é preciso tomar alguns cuidados.

"Vários segmentos, como o gráfico, de serviços, alimentação, são favorecidos com as eleições e conseguem até mesmo ter lucros maiores do que teriam em um ano inteiro sem esta atividade", destaca o consultor em marketing estratégico e planejamento empresarial. No entanto, ele ressalta: "Sempre que o empresário desejar se beneficiar de algum período do ano que favoreça as vendas, é preciso um planejamento antecipado, para atender o mercado nesse período".

Ao planejar com antecedência e investir em estrutura, a empresa vai ter facilidade para cumprir prazos de entrega e oferecer preços que a diferenciem da concorrência. Tudo isso sem precisar abrir mão de seus antigos clientes para cumprir as demandas da campanha política.

É o que fez a Tuca Transporte, empresa de aluguel de vans em Campo Grande. De acordo com o auxiliar administrativo Estiferson Isidoro, dos 13 veículos disponíveis para locação, oito estão sendo usados para as campanhas. Ainda assim, nenhum cliente novo é negado pela empresa. "A gente aceita o trabalho e depois se vira nos 30 para arranjar uma van terceirizada. Assim não deixamos nenhum cliente sem atendimento".

Outra questão que deve receber atenção é quanto ao recebimento do serviço prestado. O consultor do Sebrae, Paulo do Valle, especialista em empreendedorismo, relata: "Como em qualquer empreendimento, é preciso trabalhar com as seguranças que o negócio exige. O momento político é muito rápido, é preciso tomar algumas precauções".

 

Para isso, uma das sugestões dele é evitar o crédito. "O empreendedor não é um banco. Esse não é o papel dele. Se o cliente deseja pagar a prazo, o mais indicado é encaminhá-lo para uma financeira e se concentrar no fornecimento".

 

Estiferson, da empresa de vans, tem outro sistema de recebimento. Ele trabalha com contratos fechados, com duração quinzenal. "Assim, se tiver algum problema, o prejuízo é menor". Atuando de forma diferente, a gerente da gráfica Microarte, Márcia Mattos, relata que a empresa optou por um dos formatos mais utilizados nesta situação: o pagamento antecipado. "Aqui recebemos 50% na hora do pedido e 50% na entrega. É difícil ver uma gráfica que não trabalhe assim", relata.

 

Para Márcia, não é apenas de maneira direta que o período eleitoral oferece às empresas oportunidades de aumentar os lucros. "Durante as eleições, muita gente que estava desempregada passa a trabalhar com a campanha. Então, como estão recebendo, aproveitam para pagar dívidas e gastar no comércio. E com dinheiro no mercado, é mais fácil conseguir fechar um negócio".

 

Ainda pensando na questão da segurança do empreendimento, o consultor Mauro Vieira propõe que buscar informação antes de investir é essencial para aqueles que desejam empreender tendo como foco período eleitoral. No caso do setor gráfico, todas as peças impressas precisam informar o número do CPF ou CNPJ do candidato e da gráfica, assim como a tiragem do material.

 

"Conhecer a legislação, por exemplo, é fundamental para saber se seu trabalho está seguindo todas as determinações legais", propõe Vieira. E finaliza: "Mesmo frente às oportunidades existentes, a articulação requer uma certa antecedência, para que não haja investimento sem o retorno esperado. É preciso planejar".

Leia Também