Domingo, 19 de Novembro de 2017

Peemedebistas reivindicam paternidade de programas sociais da União

6 FEV 2010Por 16h:40
     

        Da redação

        O apoio ao governo do presidente Luís Inácio Lula da Silva foi destacado na fala de líderes peemedebistas presentes à convenção nacional do partido, neste sábado, em Brasília. A convenção deverá reeleger Michel Temer (SP) como presidente da legenda.

        "Se nós temos o controle da inflação, foi porque o PMDB congressual deu apoio a essas medidas. Se temos o maior programa de inclusão social, foi porque teve o apoio do PMDB congressual", disse Temer em seu discurso de saudação. "O PMDB precisa de muito mais espaço nacional. Sem o PMDB não há condições de conduzir o País".

        O presidente do Senado Federal, José Sarney (AP), foi além ao dizer que a inclusão do social na agenda do País é mérito do partido. "Fomos nós que incluímos a parte social na discussão dos problemas nacionais. Foi o PMDB que iniciou todos os programas sociais que depois progrediram, por isso nos identificamos com o presidente Lula, porque ele voltou à mentalidade do PMDB do Tudo pelo Social. Nós temos uma identidade com a causa popular", disse.

        Sarney falou ainda da aliança com o PT para a disputa presidencial deste ano. "Vamos aceitar o desafio de construir, juntos, a continuidade dos programas sociais nesse novo patamar que o Brasil alcançou, com o presidente Luís Inácio Lula da Silva".

        A aliança com o PT não é unanimidade no PMDB, tanto que setores contrários tentaram cancelar a convenção deste sábado por meio de liminar, que foi derrubada pelo Superior Tribunal de Justiça. A provável reeleição de Temer deve reforçar seu nome para compor uma chapa encabeçada pela ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, na candidatura presidencial.

        "A delegação do Rio de Janeiro defende que o projeto continue com uma aliança com Dilma e com a indicação de um nome do PMDB. Particularmente, eu defendo o Temer para vice, para com isso, consolidar as transformações que o Brasil conquistou nos últimos oito anos sob a liderança do presidente Lula. Não podemos abrir mão desse projeto nacional", disse o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.

        Temer disse que o PMDB entra na aliança em uma "nova fase", participando da elaboração do programa de governo a ser apresentado na disputa presidencial.

        O senador Valdir Raupp (RO), que ficou como vice na chapa única de Temer nas eleições do partido, também falou sobre a importância do PMDB para a governabilidade do Brasil. "Milito há 30 anos no PMDB, um partido que foi importante em todas as fases do País. E agora também, consolidando a democracia no País, sendo o fiel da governabilidade tanto do governo anterior, como do atual, e com certeza do governo futuro". (informações do Terra)

Leia Também