Sábado, 18 de Novembro de 2017

Pedetista vence de virada no Macapá

26 OUT 2008Por 20h:45
     

        da redação

        Na disputa entre duas das mais importantes famílias da política do Amapá, a Góes saiu vencedora no segundo turno das eleições deste domingo. Com 98,28% das urnas apuradas, Roberto Góes (PDT), 42, deputado estadual e sobrinho do governador Waldez Góes (PDT), foi eleito com 51,74% dos votos válidos, derrotando o também deputado estadual Camilo Capiberibe (PSB), 36 --filho de João Capiberibe (PSB), ex-governador do Amapá--, que teve 48,26% dos votos. Com a vitória, a família Góes passa a controlar o Estado e sua capital.

        A vitória foi de virada. No primeiro turno, Camilo Capiberibe conseguiu 33,07% dos votos válidos, contra 26,53% de Roberto Góes.

        Além do governador, outros caciques políticos do Estado ficaram ao lado de Góes na disputa, o que pode ter sido decisivo para a vitória. Entre eles estavam os senadores José Sarney (PMDB), Gilvam Borges (PMDB) e Papaléo Paes (PSDB).

        Outro fator importante na vitória de Góes foi a neutralidade do candidato Lucas Barreto (PTB), que obteve 25,19% dos votos válidos no primeiro turno e se tornou o "fiel da balança" no segundo turno. Caso tomasse posição, Barreto poderia ter decidido a eleição.

        Apesar de ser de um partido da base governista do governo federal, a coligação "Nosso Forte é Macapá", que elegeu Góes, tem ainda DEM, PSDB, PTdoB e PSL --os dois primeiros são os 'líderes' da oposição federal. Inclusive a nova vice-prefeita, Helena Guerra, 54, é do DEM. (informações da Folha)

Leia Também