Domingo, 19 de Novembro de 2017

PDT investigará suposta infidelidade do prefeito

3 AGO 2010Por 10h:05
lidiane kober

O PDT vai apurar infidelidade partidária do prefeito de Dourados Ari Artuzi (PDT) na disputa por vaga de senador. O candidato da legenda é o deputado federal Dagoberto Nogueira, mas, em ato público realizado no último sábado, Artuzi declarou apoio ao deputado federal Waldemir Moka (PMDB). O prefeito ainda reiterou preferência pela reeleição do governador André Puccinelli (PMDB), indo contra o rumo do PDT na sucessão estadual. Porém, isso não preocupa Dagoberto. “Será um apoio faz de conta”, explicou.
Desde ontem, lideranças da legenda estão de olho nos passos de Artuzi. “Queremos saber se ele vai apoiar mesmo o Moka”, disse Dagoberto. “No decorrer da campanha, por meio dos gestos do prefeito, vamos saber do lado de quem ele realmente está”, completou.
No caso de a infidelidade partidária se comprovar, Dagoberto, que é presidente do PDT em Mato Grosso do Sul, vai acionar a Justiça para pedir o mandato de Artuzi. “E tenho certeza que vou contar com o apoio da direção nacional”, frisou.
A indignação do deputado federal se deve ao fato de o PDT ter candidato ao Senado. “No caso da disputa pelo Governo do Estado, o partido não tem candidato”, comentou.
Além disso, neste caso, Dagoberto não acredita no apoio do prefeito a Puccinelli. “O Artuzi só fala que apoia o André, mas não fará campanha para ele, nem vai votar nele”, opinou. No último domingo, o prefeito organizou ato político em favor do governador e andou pelas ruas de Dourados pedindo votos para ele.
“Cada vez que o Artuzi é pressionado, ele manifesta apoio ao André, mas não tem motivos para ele ficar do lado dele, porque governador não fez nada para os municípios durante sua gestão”, finalizou Dagoberto.

Leia Também