Sábado, 18 de Novembro de 2017

PC de Tacuru prende homicida e encontra plantação de maconha

8 JUL 2008Por 11h:45
     

         

A Polícia Civil de Tacuru prendeu o braçal Ilson Soares de 26 anos, acusado de ser o autor do assassinato da deficiente mental Edileusa Ferreira de Melo de 32 anos, ocorrido na madrugada de segunda-feira (7), ao lado da Igreja Católica, no assentamento rural Botelha Guaçu, cerca de 35 quilômetros da cidade.

 

Segundo o delegado Humberto Peres Lima, além de desvendar o crime e prender o autor, houve a recuperação de produtos furtados e foi localizada uma plantação de maconha, que era mantida aos fundos de uma residência, o que levou a prisão em flagrante do dono da casa.

 

Ao chegar no assentamento, após um comunicado de moradores, os policiais civis constataram que a mulher apresentava sinais de violência na região do pescoço, o que indicaria que a morte teria sido provocada por asfixia.

 

Logo após realizar os levantamentos de praxe no local onde o corpo foi encontrado, a equipe de investigação passou a trabalhar no caso e cerca de duas horas depois o autor do crime já estava preso e confessou o assassinato. Ilson declarou que cometeu o crime devido a um desentendimento entre ele e ela. Logo após informou que foram encontrados vários aparelhos de som e outro objetos, produtos de furtos praticados por Ilson em residências da região.

 

Plantação de maconha

 

Durante os trabalhos de investigação do assassinato de Edileusa Ferreira Melo, a Polícia Civil de Tacuru descobriu uma plantação de maconha na região da Botelha Guaçú. Sete pés foram localizados aos fundos da residência de Daniel Alves de Sá, 21 anos.

 

Segundo o delegado Humberto Peres, ao notar que a polícia havia descoberto o plantio da droga, o rapaz, que seria comparsa de Ilson Soares, o autor do assassinato, teria tentado se justificar, dizendo que havia plantado a maconha para consumo próprio, fator que não convenceu a polícia, já que uma quantidade daquelas de plantas poderia gerar vários quilos do entorpecente e muita semente para possibilitar um plantio maior da droga. O plantio de droga foi arrancado e Daniel foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil de Tacuru onde foi autuado em flagrante.

 

O assassinato de Edileusa Melo foi o sétimo homicídio ocorrido em dois anos em Tacuru e todos foram elucidados e os autores indiciados em inquérito, segundo a informação passada pelos agentes da Delegacia de Polícia Civil.

        
        

Leia Também