Sexta, 17 de Novembro de 2017

Paternidade de indústria vira guerra política

19 FEV 2010Por 08h:21
PT e PMDB est ão em guerra pela paternidade do complexo industrial Fibria/ International Paper de Celulose e Papel de Três Lagoas e brigam para atrair a atenção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que visita a fábrica hoje. Os petistas são taxativos ao declarar que o empreendimento só saiu do papel graças ao empenho do ex-governador José Orcírio dos Santos (PT), que, segundo eles, viabilizou os incentivos fiscais para atrair os investidores para Mato Grosso do Sul. No entanto, os anfitriões políticos serão o governador André Puccinelli (PMDB) e a prefeita Simone Tebet (PMDB). O fato de os peemedebistas figurarem como estrelas, ao lado do presidente, irritou alguns petistas. José Orcírio não perdeu tempo e postou em seu twitter críticas, denunciando a suposta apropriação indébita da obra por parte de lideranças do PMDB. “Todos sabem que a inauguração do complexo industrial Fibria/International Paper de celulose e papel no município é graças ao governo do PT”, afirmou. “Não dá pra ficar ouvindo quem não moveu uma palha ‘cacarejar’, agora, que foi quem trouxe a empresa pra cá. Todos sabem que não é verdade”, completou. O vice-presidente do Diretório Municipal do PT, Gilmar Tosta, reforçou o discurso, acusando Simone Tebet de ingrata. “Quem construiu Três Lagoas foi o governo do presidente Lula. Lamento a ingratidão da prefeita, que avoca todas as obras para si”, acusou. Segundo ele, não faltam no município empreendimentos federais e, como exemplo, citou a revitalização do balneário municipal, a construção de clínicas de saúde e o asfaltamento de ruas. Sobre a viabilização do complexo industrial Fibria/ International Paper, Tosta deu o mérito ao ex-governador. “O Zeca (José Orcírio) foi para os Estados Unidos buscar a fábrica, oferecendo incentivos fiscais”, contou. No entanto, hoje, serão os peemedebistas que terão local de destaque ao lado do presidente. Como governador e como prefeita, respectivamente, Puccinelli e Simone vão dividir as atenções com Lula. Eles vão recepcioná-lo no aeroporto e seguir de helicóptero presidencial direto para a empresa. “O André e a Simone aproveitam os cargos políticos para dar a entender ao povo que eles são os responsáveis pela instalação da fábrica”, comentou Tosta. Demarcando espaço Para não ficarem por bai xo, os pet istas foram atrás de espaço no evento do presidente, em Três Lagoas, contudo, negam qualquer intenção de transformar a passagem da estrela do partido em ato político. José Orcírio vai encontrar-se com Lula na sala vip, montada na fábrica. Ele garante que só decidiu comparecer ao ato porque teria sido convidado pelo presidente. “Não estou preocupado em falar sobre política com ninguém, pois o momento é inadequado”, desconversou. A prefeita Simone Tebet também fez questão de ressaltar o esforço em não transformar o evento em palanque eleitoral e não quis entrar no mérito de quem é o responsável pela implantação da fábrica em Três Lagoas. Para ela, os políticos devem se empenhar e se unir, independentemente de bandeira partidária, para trazer recursos para os municípios de Mato Grosso do Sul e não se aterem em colher louros eleitoreiros. Mas o fato é que o PT e PMDB estão de olho nas eleições e devem tratar de política com Lula. Tudo caminha para Puccinelli e Orcírio polarizarem a disputa pelo Governo do Estado e, neste caso, o apoio de um presidente popular torna-se fundamental. O governador já avisou que só ficará do lado da candidatura da min istra Di lma Rousseff a presidente da República se o PT não enfrentá-lo na sucessão estadual. Hoje, ele deverá reforçar sua posição a Lula. Em contrapartida, José Orcírio vai marcar presença para endossar sua intenção do concorrer ao governo.

Leia Também