Quarta, 22 de Novembro de 2017

Páscoa com novos sabores

24 MAR 2010Por 07h:16
O colorido dos ovos de Páscoa já enfeitam vitrines de lojas ou espaços nos supermercados. O diferencial, para quem deseja uma opção alternativa aos chocolates industrializados, está no trabalho caseiro de fazer bolos ou tortas, que dão um sabor e um visual mais personalizado ao tradicional chocolate da temporada. Eles podem servir como sobremesa no dia da comemoração ou, então, como um delicioso presente alusivo à data. As opções são variadas, como a “torta trufada de chocolate preto e branco” ou o “bolo gelado de chocolate com leite condensado”. Para quem prefere algo menor, porém com muito sabor, a dica é o “bolo de chocolate na caneca”, fácil e rápido de fazer. Benefício do chocolate A explicação é simples: substâncias presentes no cacau (matéria-prima do chocolate), os flavonoides, são uma espécie de antioxidantes que protegem o organismo dos radicais livres, diminuindo o risco de ataque cardíaco e outras doenças do coração, ou seja, ajudam a combater a oxidação da circulação sanguínea, melhorando assim a saúde das artérias e do coração. Os flavonoides são encontrados também em vários tipos de frutas, mas estudos recentes mostram que o cacau está entre suas fontes mais ricas. Segundo o estudo, um chocolate de boa qualidade apresenta capacidade antioxidante três vezes maior que à do alho ou dos morangos. No entanto, a nutricionista Gersislei Antônio adverte que é preciso ter cuidado com o chocolate. “Essa substância antioxidante existe nos grãos do cacau e o chocolate que a gente come não é o grão do cacau puro, e sim a manteiga”. Além disso, Gersislei, que é doutora em Ciência da Nutrição, expõe que não é qualquer chocolate que possui o antioxidante. É só chocolate escuro, ao leite, isso porque o branco não tem essa substância”. Origem Segundo alguns estudos arqueológicos, o chocolate apareceu em 1.500 a. C. A civilização Olmeca teria sido a primeira a usufruir das maravilhas do cacau, seguida pouco depois pelos Maias, Toltecas e Astecas. Naquele tempo, os povos consideravam o fruto do cacaueiro “o alimento dos deuses”. E eles tinham lá sua razão, não é mesmo? Muito tempo depois, Cristóvão Colombo descobriu a América – e o cacau, por volta de 1502. Com o passar dos anos, os espanhóis começaram a preparar a bebida de cacau com adoçantes para torná-la menos amarga, o suficiente para que o chocolate caísse nas graças da elite. A novidade foi se espalhando pelo resto da Europa – França, Inglaterra, Alemanha, Itália etc. Mais tarde, com o uso popularizado, voltou à América. Hoje, o Brasil é o quarto maior produtor de chocolates no mundo.

Leia Também