Quinta, 23 de Novembro de 2017

Partidos menores devem gastar juntos pouco mais de R$ 37 milhões

6 JUL 2010Por 11h:30
     

Os seis candidatos dos partidos menores que disputam a Presidência da República pretendem gastar, juntos, pouco mais de R$ 37 milhões na campanha eleitoral. Em declarações apresentadas ontem (6) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os candidatos se mostraram dispostos a investir de R$ 25 milhões, como o Partido Social Democrata Cristão (PSDC), a R$ 900 mil, como o Partido Socialismo e Liberdade (P-SOL).

As informações são do TSE. Os candidatos também registraram os pedidos de candidatura no tribunal. Na relação dos partidos que terão candidatos próprios em 2010 à Presidência estão o Partido Comunista Brasileiro (PCB), Partido Socialista dos Trabalhadores Unificados (PSTU), Partido da Causa Operária (PCO) e o Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB).

Pelo P-SOL, o candidato à Presidência é Plínio Arruda Sampaio que declarou ter bens, no total, de R$ 2,1 milhões. O candidato a vice é Hamilton Moreira de Assis, com bens declarados no valor de R$ 19 mil. De acordo com o pedido, o valor máximo de gastos com a campanha será de R$ 900 mil.

O candidato pelo PCB é Ivan Pinheiro cujo vice do mesmo partido é Edmilson Silva Costa. Pinheiro informou ter patrimônio no valor de R$ 355 mil e Costa disse dispor de um total de R$ 200 mil. Também registrou ontem (5) pedido de candidatura José Maria Eymael, do PSDC. O vice de Eymael é José Paulo da Silva Neto.

Eymael declarou bens no valor aproximado de R$ 3,1 milhões, enquanto Silva Neto disse que seu patrimônio é de R$ 119 mil. Conforme a ata da convenção partidária que aprovou as candidaturas, o limite de gastos para a campanha é de R$ 25 milhões.

Pelo PSTU, o candidato é José Maria de Almeida e a vice na chapa é Cláudia Alves Durans. A previsão de gastos na campanha é de R$ 300 mil. De acordo com a declaração de bens de Almeida, seu patrimônio é de R$ 16 mil. A candidata a vice declarou não possuir bens em seu nome.

Leia Também