Segunda, 20 de Novembro de 2017

Partido fará reuniões para acabar com os conflitos

6 ABR 2010Por 21h:35

A estratégia do PT para pôr fim aos conflitos internos será realizar reuniões semanais da executiva do partido com o ex-governador José Orcírio dos Santos (PT) e com o Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE). Além disso, nos finais de semana, as lideranças petistas devem participar de encontros regionais, que começam no próximo dia 16, em Coxim.

Ao lado do presidente do Diretório Regional do PT, Marcus Garcia, Orcírio anunciou ontem que às segundas-feiras vai se reunir com a direção da sigla e com o GTE, das 16h às 18h, para "aparar arestas". Ele afirmou, ainda, que o partido montou agenda unificada dele (Orcírio), do senador Delcídio do Amaral e dos deputados estaduais e federais nas principais cidades de cinco regiões do Estado, a fim de "mobilizar as bases do PT no interior".

Depois de Coxim, o PT realizará encontro em Aquidauana, nos dias 23 e 24. Em seguida, será a vez de Três Lagoas, nos dias 7 e 8 de maio. No final de semana seguinte, em Dourados. Em Ponta Porã, o encontro do PT acontecerá nos dias 21 e 22 de maio. O encerramento das reuniões regionais será em 5 de junho, em Campo Grande. A ideia é discutir a táticas eleitorais, alianças e coletar sugestões para o programa de governo.

No dia 6 de junho, o partido realizará o encontro estadual para deliberar e homologar candidaturas e, entre os dias 10 e 30 junho, a convenção.

Inauguração

Ontem, o PT inaugurou o comitê político da pré-campanha, localizado na Rua Alvorada, 256. Lá, serão realizados os encontros para discutir alianças, programa de governo e estratégias eleitorais. "A inauguração desse comitê materializa o que eu cansei de dizer: essa caminhada não tem retorno. Esse projeto (de candidatura ao Governo) é irreversível", assegurou Orcírio. "Vamos ficar aqui pelo menos até o final de junho, para aí definir onde será o comitê da campanha".

 

Reclamações

Orcírio considerou "normais" as reclamações de parlamentares petistas contra lideranças do PDT. Conforme os deputados Paulo Duarte e Amarildo Cruz, o PDT estaria agindo no interior do Estado para cooptar o apoio de vereadores petistas, "com o aval de lideranças do PT".

"Eu não vi assédio nenhum. Mas de qualquer forma, acho que a agenda que estamos preparando a partir de agora, todo mundo junto nesses eventos, vai ter que acabar com isso. Isso é próprio de uma pré-campanha", comentou Orcírio.

Para o ex-governador, os pré-candidatos estão "ansiosos por montar sua estrutura, buscar apoiadores", daí os atritos. "Está todo mundo se mexendo. Isso gera um desconforto, que a própria caminhada resolve. O tempo faz com que essas coisas sejam superadas", afirmou. (MM)

Leia Também