Sábado, 25 de Novembro de 2017

Parlamentares admitem que aprovação do pré-sal não será tarefa fácil

3 JAN 2010Por 16h:00
     

        Da redação

         

Com uma base aliada de tamanho mais reduzido que na Câmara e poucas chances de negociação com o PSDB e o DEM, o governo terá que impor sua maioria se quiser aprovar os quatro projetos do pré-sal ainda no primeiro semestre de 2010.

Senadores da base aliada, como Renato Casagrande (PSB-ES) e o líder do PT, Aloizio Mercadante (SP), reconhecem que a tarefa não será fácil e por ser tratar de um ano eleitoral, quando os trabalhos legislativos são praticamente interrompidos a partir de julho por conta das campanhas.

Mercadante afirmou que essa é uma pauta do governo e, por isso, não cabe estabelecer expectativas de um acordo com a oposição em torno das matérias mas, sim, mobilizar a base, ter maioria e votar.

O líder petista destacou que, em ano eleitoral como 2010, com eleição presidencial e renovação de dois terços do Senado, ?sempre se exige uma concentração de esforços maior de fevereiro a junho? para que matérias estratégicas, como o pré-sal, possam ser apreciadas em tempo hábil.

Com informações da Agência Brasil

         

Leia Também