Segunda, 20 de Novembro de 2017

Para prefeito de Ilhéus, projeto vai salvar o município

2 MAI 2010Por 15h:00
     

        Da redação

        O prefeito de Ilhéus, Newton Lima Silva (PSB), vê o projeto Porto Sul como uma forma de "resgatar" a região após a crise do cacau. "Em uma enquete que fizemos no município, o desemprego apareceu como o principal problema para a população. E, depois, a segurança." O prefeito diz que, após o anúncio do porto, o Makro e o Atacadão começaram a se instalar na cidade.
        Questionado, Silva não soube responder qual é a taxa de desemprego ou o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Ilhéus De acordo com o IBGE, no ranking de 2000 Ilhéus aparece com 0,703 - o ideal é atingir 1 e o melhor colocado, São Caetano do Sul, tem 0,919.
        "Nós estamos a favor do crescimento econômico (...). Não sei até que ponto vai haver danos ao ambiente, mas a licença ambiental está sendo vista pelas autoridades pertinentes", afirma Silva.
        O secretário extraordinário da Indústria Naval e Portuária do governo baiano, Roberto Benjamin, diz que o governo quer dar "um novo futuro" para a região com o complexo intermodal. "Se o turismo tivesse dado resposta à população, não estaríamos propondo o porto. Mas o setor turístico gera poucos empregos lá e muitas vezes os postos são ocupados por pessoas de fora", afirma. Segundo ele, a ordem do governador Jaques Wagner (PT) é "descentralizar o desenvolvimento".
        Já as ONGs ambientalistas afirmam que se trata de "descentralizar a desgraça".
        Utilização - Benjamin explica que a produção agrícola de grãos e algodão poderia utilizar a ferrovia e o porto público. Afirma que existe a intenção também de criar uma área industrial "É um sacrifício que terá de ser feito numa pequena área e será compensado pelo benefício que o projeto trará."
        De acordo com o secretário, mais de 3 mil pessoas da região onde será construído o porto não possuem água encanada. "É essa realidade que estamos tentando mudar." (DO Estadão)

Leia Também