Domingo, 19 de Novembro de 2017

Para não ser expulso, suplente pode deixar o PMDB

18 MAI 2010Por 06h:37
Fábio Dorta, de Dourados

Ameaçado de ser expulso do PMDB por apoiar abertamente a candidatura do ex-governador José Orcírio dos Santos (PT) ao Governo do Estado, o ex-vereador douradense e suplente de senador Eduardo Marcondes disse que poderá deixar o partido ainda nesta semana, caso o senador Valter Pereira (PMDB) aceite o convite para se filiar ao PSB.

“Estive com o senador na semana passada e fiz um compromisso de acompanhá-lo, caso ele deixe mesmo o partido”, contou Marcondes. “O senador me disse que tomará uma decisão até o próximo dia 20 e, se ele ingressar ao PSB, eu com certeza estarei junto com ele neste novo desafio político”, completou.
O suplente de senador afirmou que foi notificado pelo diretório municipal da denúncia feita pelo deputado federal Geraldo Resende (PMDB), que o acusa por infidelidade. “Se decidir permanecer no partido, vou apresentar defesa”, comentou.

Para Marcondes, a denúncia feita por Resende foi motivada pelo fato de Valter Pereira ter vencido em Dourados as prévias para o Senado contra o deputado federal Waldemir Moka (PMDB). “Isso é despeito, porque eles tentaram nos enfiar a candidatura do Moka goela abaixo e perderam”, afirmou.
O estatuto do PMDB prevê, em caso de condenação por infidelidade partidária, punições que vão de advertência a suspensão ou expulsão de membro do partido. A denúncia feita por Geraldo Resende foi encaminhada à comissão de ética do diretório municipal.

Leia Também