Domingo, 19 de Novembro de 2017

Para André, Lula não provocará reviravolta nas eleições em MS

25 AGO 2010Por 05h:31
Fernanda Brigatti e Lidiane Kober

O governador André Puccinelli (PMDB) não acredita em reviravolta no processo eleitoral em Mato Grosso do Sul com a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Campo Grande, no comício do petista José Orcírio dos Santos, que contará ainda com a presença da candidata a presidente Dilma Rousseff. André não se considera adversário de Lula, apenas de Orcírio na disputa eleitoral pelo governo de Mato Grosso do Sul. O governador reconhece no programa eleitoral gratuito — rádio e televisão — o apoio do presidente na execução de obras no Estado. André conversou reservadamente com o presidente depois de recepcioná-lo na Base Aérea de Campo Grande por ser o governador do Estado e depois foi cuidar de sua campanha eleitoral.
Estava ainda previsto almoço do governador e o prefeito Nelsinho Trad (PMDB), da Capital, com o presidente na Base Aérea. A agenda foi cancelada, segundo Nelsinho, porque Lula pediu para descansar antes de participar das inaugurações de obras no Cabaça e no comício. Ele almoçou no avião durante a viagem de Dourados a Campo Grande.
Para o adversário José Orcírio dos Santos (PT), amigo pessoal do presidente, a declaração de André é apenas tentativaa de o governador desqualificar esse momento do PT em Mato Grosso do Sul. “Ele quis desprezar o Lula, mas todo mundo sabe da popularidade que ele (presidente) tem”, disse Orcírio.
O governador assegurou não haver menosprezo ao presidente. José Orcírio, no entanto, não tem dúvida que a presença do presidente poderá ajudá-lo na campanha eleitoral.

Chamado
Depois de um encontro rápido no Aeroporto de Dourados, Lula e Orcírio se encontraram novamente em Campo Grande. O candidato do PT relatou que estava em seu escritório, quando foi chamado pelo presidente, que queria conhecer a vice de sua chapa, Tatiana Ujacow (PV). Ela, Orcírio e Gilda Maria dos Santos (PT) se encontraram com Lula no Hotel Jandaia.
Os quatro conversaram com o presidente por cerca de 45 minutos. Nesse período, Lula disse a Orcírio que quer ajudá-lo e o convidou a ir para Brasília (DF), onde poderão fazer gravação para o horário eleitoral gratuito. O candidato ao governo do Estado afirmou que na próxima semana deve viajar para gravar com Lula e com Dilma Rousseff, a presidenciável petista.

Amigo ilustre
Já em Campo Grande, Lula pediu à sua equipe para localizar o jornalista aposentado João Félix, que um dia foi conhecido como João Ferrador. O aposentado escrevia artigos para a Tribuna Metalúrgica e conhecia Lula ainda do período em que ele era sindicalista. Hoje, morando em Aquidauana, João Félix já encontrou com o presidente por três vezes desde que ele assumiu. Lula ainda lhe fez uma promessa: assim que deixar o cargo, virá a Aquidauana para comer peixe com o velho conhecido. (Colaborou Adilson Trindade)

Leia Também