Domingo, 19 de Novembro de 2017

Para alívio de Sarney Pt se rende às ordens do Planalto

3 JUL 2009Por 07h:30
     

         

        Falta ainda a conversa oficial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), mas o acerto entre o PT, o PMDB e o Palácio do Planalto está feito. O ar risonho e altivo que Sarney exibia ontem era a tradução de sua permanência no cargo. Ao final de um dia marcado pelo esperneio de petistas que se viam forçados a apoiar Sarney, o que prevaleceu foi a "ordem unida" disparada pelo Planalto, de olho em formar um "frentão" de partidos para a disputa presidencial - nesse "frentão", o PMDB é considerado essencial.

Em nome da governabilidade e do projeto de 2010, em que o PMDB é o parceiro estratégico para eleger a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, o líder do PT, Aloizio Mercadante (SP), deixou claro, da tribuna do Senado, que entre a licença de Sarney e a governabilidade, fica com a segunda opção e com o projeto de poder do partido. O discurso foi reforçado por Delcídio do Amaral (PT-MS).

Leia Também